A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 7 a 12 de março de 2017, a mostra Imagens da Turquia: O Cinema de Nuri Bilge Ceylan, uma retrospectiva do premiado cineasta turco. Ao longo dos seis dias de evento, o público carioca terá a possibilidade de conhecer na íntegra a obra de um dos diretores mais aclamados da atualidade, mas ainda pouco conhecido no Brasil. A programação inclui todos os sete longas-metragens da carreira de Ceylan – a maioria inédita no circuito nacional – além de um curta-metragem. Cada filme será exibido em duas sessões diferentes. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

Ceylan estreou seu primeiro trabalho, Cocoon, no Festival de Cannes de 1995, e desde então, tem agradado à crítica especializada. Apesar de não ter uma filmografia muito extensa, todos os seus filmes foram exibidos em grandes festivais internacionais, como Berlin ou Cannes, e saíram de lá premiados. Um exemplo mais recente é o longa Sono de Inverno (Winter Sleep), premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes em 2014.  Entre outros destaques da mostra, estão Climas (Climates), premiado com o Fipresci em 2006, e Três Macacos (Three Monkeys), pelo qual ganhou o prêmio de melhor diretor, em 2008, em Cannes.

Ao remeter a diretores consagrados como Ingmar Bergman – do qual Ceylan se revela fã – Yasujiro Ozu e Robert Bresson, o diretor turco cria obras densas e cheias de personalidade, onde os personagens são homens e mulheres comuns, repletos de conflitos. Tais nuances encurtam a distância entre as culturas turca e brasileira e fazem com que qualquer pessoa se identifique com seus filmes, se projetando na tela.

A programação inclui, ainda, a distribuição de um catálogo contendo dados biográficos, textos, fotos e entrevistas com o homenageado, além de um debate com o curador da mostra, Julio Constantini. O bate-papo será realizado no dia 10 de março, às 19h e contará com a presença de críticos e cineastas convidados. A entrada é franca.

Nuri Bilge Ceylan:

Nascido em 1959 em Istambul, na Turquia, Nuri Bilge Ceylan alimentava sua paixão por fotografia e cinema por meio das aulas eletivas na universidade, onde cursava engenharia. Após se formar, começou a estudar cinema, mas, por conta de dificuldades, teve que interromper o curso. No entanto, nunca deixou de lado a sétima arte.

Depois de exibir Cocoon no Festival de Cannes. Em seguida, partiu para uma trilogia de longas-metragens, o último sendo Distante, que, após ganhar o Grand Prix, também no Festival de Cannes, fez de Ceylan um cineasta reconhecido internacionalmente.

Dono de uma filmografia impressionante, extremamente delicada e ligada à realidade e às transformações que ocorrem em seu país, Ceylan frequentemente atua em seus filmes ou escolhe amigos e parentes para estrelá-los. O elenco de pessoas próximas ao cineasta e equipes reduzidas garantem a seus filmes uma atmosfera intimista, de tempos dilatados, que expressam sentimentos profundos e delicados, ligados à alma da sociedade turca atual.

Agenda