Neste final de dia especial, depois de recebermos alguns presentes e curtirmos com a família, é importante que lembremos de um item essencial que nos acompanha há mais tempo, que seria a Netflix. Faça chuva, faça sol, a plataforma de streaming foi companhia em diversos momentos. No ano de 2017, ainda mais que nos anteriores, a queridinha global tem tentado – e conseguido – se expandir e produzir grande parte do próprio conteúdo. O plano ideal é de que, em um tempo estimado por eles, a divisão seja de, aproximadamente, 80% originais Netflix e o restante comprado a parte. Ou seja, a dedicação da empresa para com seus usuários é nítida e poderemos torcer para vir grandes projetos.

Enquanto isso, como já comentado, este ano foi formado com muitas obras, seja filme, série ou documentário da própria casa. Sendo assim, com o fim de ano fazendo parte das nossas vidas, escolhemos fazer uma retrospectiva de algumas séries desenvolvidas pelos últimos doze meses.

Big Hit

Em ordem cronológica, a seção Big Hit é destinada aos sucessos e obras bastante comentadas, seja no Brasil ou internacionalmente. Dessa forma, cada uma das três tem sua pegada e público, atingindo seus objetivos e mais uma temporada confirmada.

“13 reasons why”

Em março de 2017, a adaptação do livro homônimo chegou na plataforma e assustou a muitos com o tema e o seu desenvolvimento. Com a produção da cantora e atriz Selena Gomez, a obra trata de uma narrativa dos motivos que levaram a protagonista Hannah Baker (Katherine Langford) a se matar. Ao todo, conta com treze episódios, cada um destinado a um motivo e a uma pessoa de sua convivência. No geral, foi bem recebida e até, na época, ganhou o título de “série da moda”. Independente do livro ter uma continuação, o sucesso foi tanto que uma nova temporada foi produzida e será lançada em 2018. Se quiser saber um pouco mais sobre a série, clique aqui.

“Mindhunter”

Chegando no mês de outubro, a obra conta com Jonathan Groff como um dos protagonistas. A história acontece nos anos 70, em que dois agentes do FBI resolvem testar uma nova técnica para pegar os bandidos – tentando se aproximar por meio da mente e do estudo da mesma de cada um dos psicopatas. Com 97% de aceitação, a série policial de dez episódios chamou a atenção e renovou por mais um ano.

“Dark”

De origem alemã, a série chegou no último mês do ano para trazer um lado sombrio que “Stranger Things” não atingiu. Com uma história parecida, ocorre o desaparecimento de uma criança e o mistério da trama se desenvolve acerca desse tema. Mas, repetindo: é um terror que a obra dos Duffer Brothers não existe, além da falta de um monstro como vilão. Ao todo, são dez episódios com mais de 50 minutos cada.

Do que se trata?

Nessa parte, teremos três séries que não foram tão comentadas pelo público além da época que estouraram e, consequentemente, a primeira não alcançou uma renovação.

“Girlboss”

Datada de abril deste ano, a série trouxe como protagonista a atriz Britt Robertson para interpretar um grande nome da moda.  A releitura da vida de Sophia Amoruso foi totalmente livre e despreocupada, fazendo com que muitos não tenham se empolgado com o estilo da personagem. Intitulada como “chata”, a série foi cancelada e só teve 13 episódios.

“Dear White People”

De início, pareceu que daria certo com a polêmica que gira em torno da história da série. Contudo, ela foi esquecida depois da primeira semana e a pergunta que dá nome a seção é frequente quando falamos da obra. A trama é baseada no filme homônimo de três anos atrás, em que conta a polêmica de uma festa caracterizada como “blackface”, fazendo com que Samantha White (Logan Browning) procure na rádio da escola um mecanismo de lutar contra essa injustiça. Não chegou ao fracasso da série comentada anteriormente, fazendo com que, pelo menos, uma nova temporada fosse trabalhada.

“Dynasty”.

Sendo uma das mais esperadas pelo nome de Josh Schwartz estar por trás da obra e ser conhecido por “The OC” e “Gossip Girl”, a obra foi deixada de lado e não tem grande espaço da mídia. Foi crescendo conforme os episódios foram passando e, no momento, está em recesso – como todos nós. A história é basicamente sobre a família Carrington e todas as mentiras que as cercam. O grande problema inicia quando o pai de Fallon e Steven resolve se casar com uma de suas funcionárias bem mais nova que ele, fazendo com que a queridinha do papai, interpretada por Elizabeth Gillies, fique revoltada e com desejos de vingança.

As pequenas

2017 também foi o ano de boas minisséries originais Netflix, com temáticas completamente diferentes, mas eficientes e sendo um bom divertimento para o público refletir.

“Alias Grace”

Baseada em um romance homônimo de Margareth Atwood, é desenvolvida brilhantemente pela atriz Sarah Gadon. Conta a história de um assassinato no século XIX e que Grace, a suspeita do crime, narra como foi que esse fato se deu durante suas sessões de terapia na prisão. O conteúdo dos capítulos é denso, mas bastante viciante. Se quiser saber mais sobre a mesma, clique aqui.

“Godless”

Mais recente que a anteriormente citada, traz o cenário do faroeste americano para contar a história de Roy Goode (Jack O’Connell) e sua fuga de seu chefe um tanto poderoso nas redondezas. O formato pequeno fez com que os episódios fossem grandes, mas, no total de sete capítulos. Se quiser se aprofundar, clique aqui.

A volta

Mesmo que com diferentes períodos comparando as duas séries, ambas voltaram após um grande sucesso. No caso da primeira, o formato de filme gerou a série com novos atores e um novo contexto. Sobre a segunda, é a continuação da febre que a série sobrenatural foi no ano passado.

“Desventuras em série”

Contando com o ator Neil Patrick Harris – o eterno Barney Stinson –, depois de anos do filme ter sido icônico com Jim Carrey, o ano de 2017 trouxe de volta um dos queridinhos dos anos 2000. No total, há oito episódios com o tempo de, aproximadamente, 45 minutos. Se quiser saber mais, clique aqui.

“Stranger Things 2”

Depois de todo o sucesso, os pré-adolescentes de Hawkins retornam para mais um ano de muito mistério, companheirismo e vilões a serem combatidos. Com um episódio a mais que a temporada anterior, o retorno não deixou a desejar e trouxe, inclusive, novos personagens para a trama. A especulação de quando será a terceira temporada ainda acontece, visto que o período de espera não é uma especialidade dos criadores da série.

Caso você tenha alguma série que considere fundamental, comente aqui embaixo e, claro, conte se assistiu a todas citadas.

CLOSE
CLOSE