Fonte: Divulgação

Já imaginou ganhar o mundo, conhecendo sua gente, seus costumes e suas belas paisagens? E fazer isso gastando pouco? Parece sonho! E se o pouco inicial for mais precisamente R$358,00?? Ficou confuso, né? Pois esta foi (e vem sendo) a grande aventura relatada pelo ciclista Ricardo Martins, em seu livro “Roda América – Em busca de nossa gente”. Carioca formado em Marketing, então empregado e em busca da tão sonhada estabilidade financeira, Ricardo saiu pela América do Sul sobre a fiel Capitu (sua bicicleta) com exatos R$358,00 nos bolsos e a cabeça repleta de medos e sonhos.

Em sua viagem o aventureiro não se propôs a passear pelos roteiros turísticos, mas sim conhecer as belezas não divulgadas… a passear pelas pessoas e suas culturas. Por contar com poucos recursos e (muitas vezes) depender da hospitalidade dos locais, Ricardo teve a oportunidade de conhecer a realidade dos povos da América Latina, por vezes se integrando a eles em trabalhos locais e sempre buscando soluções que estivessem ao seu alcance.

Diversos são os perrengues narrados pelo autor nesses mais de 4 anos de viagem! Da travessia da Estrada da Morte em Coroico (Bolívia), o contração de diversas doenças, a pedaladas em grandes altitudes, a perda de seu pai e sua tia, e a fome… o narrador desta mágica saga sempre relata esperançoso suas estratégias e, quase que como uma compensação do universo, a sorte de encontrar as pessoas que pode conhecer (e que puderam dar aquela ajudinha providencial). Não desistir do seu sonho possibilitou a ele a chance de viver intensamente com pouco, lhe agregando elevada capacidade de adaptação e improvisação.

Suas experiências eram por ele divulgadas em seu blog durante a viagem e, ao final dela, foram transformadas no livro. Trata-se de um daqueles livros que te injetam uma grande vontade de viver e buscar a realização dos próprios sonhos. Quase que como um livro de autoajuda fora dos padrões. Isso pois ao invés das palavras certas para motivar o leitor, Ricardo mostra por meio de suas vivências que problemas existem para serem resolvidos e que se arriscar vale mesmo a pena! Não fosse isso o autor talvez tivesse desistido de sua jornada antes mesmo de finalizá-la. Ou não estaria atualmente desbravando outros continentes sobre duas rodas. O projeto “Roda Mundo” (agora realizado sobre a Dulcinéia, uma bicicleta de bambu) pretende, além de ampliar as experiências do autor, buscar soluções em mobilidade pelo mundo. Ricardo atualmente está viajando pelo Continente Africano, e quem quiser conhecer e acompanhar sua jornada (o que acreditem: Vale a pena!) é só buscar por “Dulcinéia – Roda Mundo” nas redes sociais, ou acessar o site do projeto (onde você pode se cadastrar para receber as novidades).

Fote: Divulgação

Divulgação