A Úmida Galeria, no Jardim Botânico, já foi mencionada nesta coluna ao abordarmos a exposição de Lair Uaracy. Agora, a casa colorida de número 5, na Rua Engenheiro Pena Chaves 6, recebe o trabalho do ilustrador Felipe Guga, artista de grande sucesso nas redes sociais.  A mostra “Seja Luz” ficará em cartaz de 15 de dezembro até 31 de janeiro, mas é necessário telefonar para o espaço antes, uma vez que agora estão sendo feitas apenas visitas marcadas, e parte das obras foi vendida. A galeria funciona de segunda a sábado, de 13h às 19h, e a entrada é gratuita.

As paredes da Galeria foram tomadas por quadrinhos com molduras brancas ou pretas, envolvendo os desenhos delicados e que transbordam cor. Praticamente todo o trabalho de Guga é feito à mão, reflexo de sua preocupação em manter a alma e os traços imperfeitos e humanos em sua arte, fugindo, assim, das intervenções tecnológicas excessivas. Sob a temática de espiritualidade, fé e uma postura positiva, o ilustrador traz, com “Seja Luz”, desenhos feitos em papel Canson ou Fabriano usando técnica mista, que abriga materiais como tintas acrílica, guache, flour e canetas marcadoras, sempre em tons cheios de vida, que se destacam tanto no fundo preto quanto no branco.

Além disso, é explorado o material de lâmpadas com luz neon, formando palavras com a caligrafia característica do artista. Com curadoria de Márcio Regaleira e Rafael Meggetto, a exposição visa passar uma importante mensagem: ser repleto de amor, empatia e gratidão é essencial, mas há a necessidade de também espalhar tudo isso, como diz o pequeno texto de Gustavo Lacombe para a mostra.

As publicações de Felipe são de fácil identificação, uma vez que tratam de assuntos comuns a vida de todos e oferecem um modo de recarregar as energias, manter a força e acreditar em dias melhores. A ideia é se encher de luz para, em seguida, ser luz para alguém que precisa. Talvez, por isso, as lâmpadas estejam presentes em tantos quadrinhos do ilustrador.

Formado em Design, DJ de várias festas do Rio, artista de colagens e ilustrador, Felipe Guga está conquistando as redes sociais com sua sensibilidade. Ele, que já desenvolveu trabalhos de colagem e ilustrações para agências de publicidade, estampas para a indústria da moda e peças para figurino de TV, sempre se dedicou de alguma forma ao trabalho manual, em suas mais diversas manifestações. Em 2014, Guga começou a desenhar e compartilhar nas redes uma série de ilustrações e de frases que espalhassem positividade. Em pouco tempo surgiram cada vez mais seguidores que admiravam e compartilhavam suas postagens, e, no final de 2015, lançou, pela Editora Record, o livro “Sorria, Você Está Sendo Iluminado!”, uma compilação do seu trabalho.

As mensagens positivas de Guga começaram de um ponto amargo: o fim de um relacionamento. Esse baque, sofrido logo antes da virada do ano, momento em que todos buscam mensagens de força, paz e esperança, levou o artista a criar um conteúdo inteiramente leve, configurando uma forma dele lidar com sua dor e se manter otimista. Guga também visava, com seus desenhos e dizeres, criar imagens que pudessem reconfortar outras pessoas que se identificam com os sentimentos experienciados por ele. Um de seus objetivos era atingir os outros com boas vibrações, assim espalhando amor e luz. Tal luz se faz presente não apenas na mensagem, mas também no meio, já que a escolha das canetas com cores fosforescentes é uma forma de transmitir essa áurea viva e vibrante.

As frases do artista são inspiradas em ideias de grandes pensadores e de personalidades diversas, indo de Ghandi e Jesus até ditos populares. Algumas são usadas como citações, logo copiadas igual à versão original, e outras são alteradas e ressignificadas com desenhos divertidos. A grande sacada de Guga é o modo de transmitir as mensagens; ele as torna atuais, adaptando a linguagem e criando dizeres curtos e, muitas vezes, com trocadilhos e sacações inteligentes. Um exemplo disso é “Deveriam haver reservas ecológicas para amores em extinção”. Em entrevista para o site do jornal O Globo, Guga explica: “O amor sempre foi falado por algumas dessas pessoas iluminadas, mas muitos não estavam escutando quando foi dito. A frase ‘perdão é o detox do coração’ é minha, por exemplo, e foi uma das ilustrações mais repostadas da série”.

Suas obras são compartilhadas nas redes sociais de modo rápido e fácil, em tempo real. O processo criativo não carrega segredos: o artista escolhe uma frase e faz a ilustração com um traço simplificado e que conserva as imperfeições geradas pela mão humana. O objeto central do seu trabalho é o papel, pois toda ideia gerada em sua cabeça vai direto para ele, onde as coisas tomam forma e ganham vida. “O papel é meu maior aliado e confidente, onde coloco todas minhas emoções e pontos de vista do mundo que vivemos’’, conta Guga em entrevista para o site “Adoro Papel”. O computador é usado apenas para uma finalização, pois, segundo Guga, o toque humano e analógico em seu trabalho é uma grande preocupação, já que são justamente os erros e a imperfeição nos traços que tornam cada arte única e com alma. Em tal entrevista, o ilustrador contou que tudo e todos ao seu redor são seus mestres e suas fontes de inspiração: “Basicamente, toda luz e ideia vêm dos livros que eu li, dos filmes que assisti, das conversas que tive, das comidas que eu comi. Sou muito sensorial e tento transformar todo esse estímulo em alguma arte”.

A arte de Felipe caminha pelo gênero motivacional. Muitas das frases tratam da importância da alegria, do pensamento positivo, de acreditar, agradecer, buscar a luz e seguir com fé. Dizeres como “Floresça onde Deus te plantar” evidenciam o conteúdo religioso de sua obra, e a figura de Deus é um dos elementos usados para dar força ao leitor e o manter com uma postura otimista e esperançosa em relação à vida. O norte de suas mensagens é a busca pela luz, algo que deve partir do próprio indivíduo e deve guiá-lo em suas ações e no seu modo de ver o mundo ao seu redor. Como está escrito em um dos quadros da exposição, “Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz”.

Cores, delicadeza e positividade. O meio também é a mensagem na vivacidade dos tons e nos traços característicos de Guga, que faz a felicidade e a plenitude parecerem estar cada vez mais perto. O artista incentiva a ser luz, emanar luz e enxergar luz. Aviso: é provável que você saía dessa exposição com o coração mais leve do que entrou.