No caminho de sucesso do seriado “The Handmaid’s Tale”, a Netflix estreou no catálogo do streaming a série de drama “Alias Grace” baseada na adaptação do livro homônimo “Vulgo Grace”, escrito pela mesma autora de “O Conto da Aia”, Margaret Atwood, que virou enredo para o programa “The Handmaid’s Tale”.

Escrito em 1996, o drama é baseado em um caso real ocorrido em uma região do Canadá, na década de 1840. A história conta a trajetória de Grace Marks, uma criada recém-emigrada da Irlanda para o norte do Canadá, que foi condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão, Thomas Kinnear, e a governanta da casa onde trabalhava, Nancy Montgomery. Além disso, há o outro culpado pelos crimes, o personagem James McDermott. Embora os dois culpados fossem condenados à morte durante o julgamento, apenas o rapaz foi enforcado. Passado o tempo de prisão, o personagem Dr. Simon Jordan, um estudioso de doenças mentais, resolve iniciar entrevistas com a criada para entender se ela foi culpada ou é uma inocente vítima das circunstâncias, isso uma década após a ocorrência dos crimes. O enredo da história tem início em 1859, quando a personagem principal Grace Marks já está presa. A trama é narrada pela própria protagonista.

Na série, a criada irlandesa Grace é estrelada pela atriz Sarah Gadon e a governanta Nancy pela atriz Anna Paquin. O resto do elenco é composto pelos atores Edward Holcroft, que dá vida ao personagem Dr. Simon, Zachary Levi, Kerr Logan, Paul Gross, que interpreta o patrão Thomas, e Michael Therriault.

A trama é baseada em uma história real, no Canadá, na década de 1840.

Neste ano, a escritora Margaret ficou conhecida através da série “The Handmaid’s Tale”, sucesso de público e crítica. O programa, que foi premiado com oitos troféus no Emmy Award neste ano, é estrelada pela atriz Elisabeth Moss. O seriado já foi renovado para a segunda temporada pelo serviço de streaming Hulu (ainda não disponível no Brasil). Por aqui, o programa será transmitido ano que vem pelo canal pago Paramount Chanel, que divulgou através da conta oficial no Twitter com um “em breve”.

A série tem seis episódios, com 45 minutos cada. A adaptação ficou por conta de Sarah Polley, roteirista do documentário História Que Contamos (2012) e que com ele concorreu ao Oscar, e a direção é assinada por Mary Harron, conhecida pelo thriller Psicopata Americano (2000).

Na página oficial no Twitter, a Netflix diz “se há um crime, as pessoas querem um culpado. Alias Grace, baseado no livro de Margaret Atwood, chega dia 3 de Novembro”.

A série foi produzida e transmitida pela emissora canadense Canadian Broadcasting Corporation (CBC). O programa fez bastante sucesso no Canadá, onde foi transmitida no mês de setembro. Depois disso, a série ganha distribuição mundial sendo incluída no catálogo da Netflix, prometendo atrair uma legião de fãs e pretende fazer com que as histórias da escritora Margaret caiam nas graças de espectadores em todo o mundo.