O advento da tecnologia, sem dúvida, facilitou a comunicação entre amigos e parentes distantes. Hoje, você pode conversar simultaneamente com diversas pessoas ao redor do mundo, algo incogitável há alguns anos. Porém, antigamente, todas as palavras emitidas em uma conversa se perdiam no ar, o que garantia a privacidade. Hoje, não é mais assim. Os usuários de aplicativos de conversas precisam multiplicar os cuidados para não serem alvo de espionagem e, até mesmo, não viralizarem na internet.

Esse foi o tema de um dos vídeos do YouTuber Jefferson Menezes: “Como proteger seu WhatsApp de espionagem”. O jovem, que mantem um canal sobre tecnologia, explicou quais cuidados você precisa ter para garantir que suas conversas não sejam lidas por ninguém para quem não foram destinadas.

“Muitas pessoas têm me pedido para ensinar a invadir o WhatsApp alheio. Mas, além desta prática não ser legal, é uma baita quebra de privacidade”.

Então, enquanto outros YouTubers publicam vídeos com todos os passos de como invadir a privacidade de outra pessoa, Jefferson trabalha para que você não seja a vítima, ele diz: “Vou lhe ensinar a se proteger”.

Em primeiro lugar, cuidado com o “WhatsApp Web”. Quando você conecta sua conta a algum computador, todas as mensagens trocadas também são recebidas por esse canal, caso os dois suportes (celular e computador) estejam conectados à internet.

Por isso, cuidado ao logar o WhatsApp no computador do namorado, por exemplo. “Por meio do celular, você pode conferir se há alguma sessão ativa e, caso haja, basta encerrá-la”. Outro cuidado que você deve ter é com a clonagem. Algumas pessoas, que têm acesso ao seu telefone, podem instalar aplicativos espiões e ocultá-los, para que você não perceba a presença deles. Para eliminá-los, só resetando o celular, ou seja, voltando para as configurações de fábrica. “Mas antes, desative o backup automático de aplicativos e depois reinstale-os manualmente”. Senão, não adianta nada.

Você deve estar pensando “Ah, mas vou perder todas as minhas fotos e mensagens”. Para Jefferson, isso não é um problema: “Mesmo que não haja nenhum aplicativo espião no seu celular, de vez em quando, é bom você resetá-lo, para desocupar a memória e, até mesmo, para se livrar de informações pessoais. Isso evita que, caso você perca seu aparelho ou seja roubado, outra pessoa tenha acesso a suas imagens, vídeos e conversas”. Após tudo isso, será que você está totalmente seguro? “No mundo da tencnologia, sempre há um jeito, mas se você tomar todas essas precauções, dificilmente terá sua privacidade virtual invadida”, garante.

Por Juliana Reche Swerts

CLOSE
CLOSE