Hello, pessoas! Hoje é sábado, então, já sabe: É dia do nosso MixTape! Quem acompanha nossa coluna sabe que esse que vos escreve adora revirar o baú e trazer músicas de outrora para compor nossa seleção musical. Pelo título acima, já deu para perceber que viajamos bem no tempo em busca de algumas músicas históricas que você e/ou alguém que conheça escuta até hoje.

2017 é um ano em que vários álbuns emblemáticos comemoram aniversário, então, no decorrer dos seus 365 dias, trarei Mixes como uma singela homenagem a clássicos da música nacional e internacional. Para abrir os caminhos, buscamos músicas famosas de alguns dos muitos álbuns que completam ‘cinquentinha’ este ano. Então, vamos às seleções da semana.

Começando com um álbum clássico de uma banca clássica que, não importa a sua idade, você já deve ter ouvido, sim, pelo menos uma música da maior banda de rock de todos os tempos, formada por quatro britânicos, The Beatles. “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, lançado em junho de 67, trouxe grandes sucessos que conquistaram o público e a crítica, levando quatro Prêmios Grammy, em 1968, incluindo a categoria Álbum do Ano, sendo o primeiro LP de rock a receber tal honra. Com 12 músicas, o disco eternizou canções como “With a Little Help from My Friends” e a nossa selecionada “Lucy in the Sky with Diamonds”.

Na lista dos 200 álbuns definitivos do Hall da Fama do Rock, o debut da banda The Doors, que ganhou como título o próprio nome da banda, é o nosso segundo selecionado. Com mais de 10 milhões de cópias vendidas somente nos Estados Unidos, a eterna banda de Jim Morrison (ou seria o contrário?), que faleceu 4 anos mais tarde, teve uma das melhores ‘estreias’ de bandas de rock de todos os tempos e deixou, só neste trabalho, inúmeras músicas inesquecíveis, como “Break On Through (To The Other Side)”, “Alabama Song”, “Back Door Man” e “The End”.

Também na lista dos 200 álbuns definitivos do Hall da Fama do Rock temos “Are You Experienced”, do The Jimi Hendrix Experience, considerado um marco da psicodelia, lançando o Hendrix de vez no mercado fonográfico. O álbum chegou a ter duas versões diferentes, uma lançada nos Estados Unidos e outro no Reino Unido, contendo músicas extras diferentes em suas edições para igualar os lançamentos nos países. Porém, oficialmente, as duas edições tiveram como singles fixos os clássicos “Are You Experienced?”, “Fire” e “Foxy Lady”.

O sexto álbum na discografia da banda inglesa The Rolling Stones, “Their Satanic Majesties Request”, seguiu o caminho da psicodelia, dividiu as opiniões entre o público e a crítica. Lançado em dezembro de 67, o título é uma brincadeira com o texto que aparece dentro dos passaportes britânicos: “Her Britannic Majesty requests and requires…”, mas o disco foi editado na África do Sul, com o título de “The Stones are Rolling” por causa da palavra “Satanic”. No Reino Unido, chegou à terceira posição nas paradas de sucesso, enquanto nos Estados Unidos ficou em segundo. Considerado o “álbum maldito” dos Stones, trouxe a pesada “Citadel”, “Sing This All Together” e “She’s a Rainbow”, um dos clássicos da banda.

Outro debut de 67 foi o lançamento do primeiro álbum da emblemática e enigmática – só pra rimar – banda Pink Floyd. “The Piper at The Gates of Dawn” é considerado um dos discos pioneiros do art rock e o único feito sob a liderança de Syd Barrett, que saiu da banda no ano seguinte após crises psicológicas causada por abusos de drogas. Se no Reino Unido o lançamento foi um sucesso, chegando ao sexto lugar, nos Estado Unidos foi bem diferente e ficou na 131ª colocação do ranking. Em setembro de 2007, foram lançadas duas versões desse álbum (uma com dois CDs, um estéreo e outro original – mono;  e outra com três CDs, um em mono, um em estéreo e outro com as músicas gravadas não-lançadas no álbum original).

Como nem só de rock viveu aquele ano de 1967, há cinco décadas a banda Bee Gees alcançou o sucesso internacional com o seu terceiro álbum, “Bee Gees’ 1st”. A a banda inglesa formada pelos irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb vendeu aproximadamente 300 milhões de discos, foram incluídos no Hall da Fama de Grupos Vocais, no Hall da Fama do Rock and Roll, no Hall da Fama dos Compositores, além de terem ganhado 10 prêmios Grammy. Com esse terceiro álbum em específico, eles chegaram ao Top 10 das paradas de sucesso, emplacando hits como “New York Mining Disaster 1941” e “To Love Somebody”.

Para finalizar mais uma vez com chave de ouro, obviamente tem uma das maiores divas da música internacional. Senhoras e senhores, com vocês: Aretha Franklin! A cantora norte-americana, que cantava gospel, soul e R&B, lançou há 50 anos o álbum “I Never Loved a Man the Way I Love You”, o 11º de sua carreira, que hoje faz parte da lista dos 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos e é considerado pela crítica seu melhor disco e um dos mais influentes da história da música moderna. O single que deu título ao disco, “I Never Loved a Man (The Way I Love You)”, chegou ao topo das paradas, assim como a música “Respect”, que lhe rendeu, em 68, dois Grammy, Melhor Gravação de R&B e Melhor Performance Vocal Feminina de R&B.

Nossa coluna de hoje foi tão histórica que confesso ter ficado feliz com o resultado. Espero que tenham curtido tanto quanto eu, até porque nosso MixTape só volta na semana que vem. Então, um cheiro, beijos molhados, abraços apertados e até breve!