Uma das principais empresas do segmento de cores, é a Pantone. Ao longo dos anos ela ficou consolidada por ser uma das líderes em previsão de tendências a serem usadas nas coleções de moda.

A ideia da Pantone para essa coleção foi baseada em cores reais e irreais, no presente e no ausente. Ela quis destacar a diferença entre o glamour e o simples do dia a dia.

Sempre é lançado um livro de tendências a cada dois anos, nele estarão reunidos padrões de cores planejados que serão utilizados pelas indústrias têxteis em suas coleções. E essas serão as cores tendências encontrada no livro que trará as novidades para as coleções outono-inverno 2016 e 2017:

Os Metálicos terão seu brilho ainda mais potentes com as combinações de cores.

A mudança do Vermelho está nas sugestões de combinação dessa cor e não em seu tom. Os tons pastéis darão lugar para tons mais seguros e fechados.

O marrom faz uma alusão ao bronze, porém continuará com sua importância e ainda bem forte na indústria fashion.

O preto sugerido para essa paleta é um tom específico que não é o absoluto. Ele será mais rebaixado e voltado para um cinza escuro.

Boas paletas de cores se sustentam na presença de cinzas e aqui encontraremos versões que puxam pro quente e natural.

O branco aparecerá para contrastar e ajudar a estabelecer a oposição do real e do irreal.

Dois tipos de verde aparecerão: um mais amarelado, sendo mais alegre e vivo, enquanto o outro é mais frio, dando uma ideia de mineral.

O amarelo virá para aquecer os dias mais frios.

O laranja será mais quente e com influência de tons de caramelo e canela.

Nessa paleta o roxo aparece com um visual mais frutal.

O azul índigo dará espaço para os azuis que tem toques de outras cores como o cinza e o verde.

Parte das inspirações para as escolhas dessas cores são: O momento atual de incertezas, que se caracteriza pelos tons mais claros. Trazendo a alegria e o calor há na seleção de cores a influências de artistas como Esther Stewart, Henri Matisse e Frank Stella. A vibração ainda maior é representada pelas cores que simbolizam a reabertura de Cuba.

Por Larissa Estephá