História medieval, magia e muita diversão. No meio de um universo tão louco, a imaginação pode fluir com tranquilidade. Nessa semana, uma indicação de obra para acompanhar é o sucesso The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai). A primeira temporada do anime está disponível na Netflix para quem quiser se aventurar nessa história. Para não entrar perdido, aqui vão alguns pontos interessantes para você decidir se vale a pena ou não acompanhar a obra. 

Nanatsu no Taizai, ou The Seven Deadly Sins, ou Os Sete Pecados Capitais, é um anime em que a história se ambienta num cenário medieval, com cavaleiros, bruxas, criaturas místicas, entre outras. A história gira em torno da princesa Elizabeth, do Reino de Lionesa, localizada na região da Britânia, que fugiu do castelo real para procurar ajuda para salvar seu pai das mãos dos Cavaleiros Sagrados. E os salvadores que a garota busca são nada mais, nada menos, do que sete foragidos do reino, conhecidos como os Sete Pecados Capitais. Este grupo já fez parte do turma dos Cavaleiros Sagrados, mas acabaram sendo perseguidos depois de uma suposta tentativa de Golpe de Estado ao reino.

Durante a busca, Elizabeth acaba parando em um bar de um dono baixinho, loiro, com fisionomia de uma criança, que tem como funcionário e mascote um porco falante chamado Hawk. Ao olhar o personagem, vê-se que ele lembra um Hobbit do universo de Senhor dos Anéis. Depois  de algumas polêmicas, Elizabeth acaba sendo perseguida por guerreiros. Quando tudo parecia perdido, o dono do bar aparece e a salva. É então que sua identidade é revelada. Ele é Meliodas, capitão dos Sete Pecados Capitais. A partir daí, Meliodas aceita o pedido de ajuda da princesa para encontrar o seu antigo grupo de batalha. Cada guerreiro tem um nome específico. Meliodas, no caso, é conhecido como o Pecado da Ira do Dragão. É sempre formado por um pecado capital junto com um animal. 

A produção se destaca muito pela qualidade do seu roteiro. Ao assistir, não se sente que há tantos furos como em outras e que toda a história vai seguir um percurso certinho, que é o que acontece. A narrativa de Nanatsu consegue prender o espectador e o leitor, seja pela cenas de luta ou até mesmo pelas cenas de humor. Este último ponto, aliás é um dos destaques da história. Diferentemente de algumas obras em que o humor acaba sendo exagerado ou colocado no momento errado, na história esse humor tem o tempo certo para ser usado. E encaixa muito bem. O espectador e o leitor acabam aproveitando bastante todas as cenas. 

Outro ponto que faz The Seven Deadly Sins ser diferente dos outros é a qualidade do seu personagem principal. Meliodas é carismático, divertido e forte. Consegue manter bons diálogos com os personagens, apresentando muito humor e alguma dose de seriedade. Diferente de alguns protagonistas em que não se aguenta nem ouvir o nome, em TSDS, acontece totalmente o contrário. Mas não é só Meliodas que se destaca na história, os outros personagens são bem legais. Os Pecados Capitais que aparecem durante toda obra são carismáticos e divertidos, cada um com sua peculiaridade. A imortalidade de Ban, a relação entre Diana e King, a racionalidade de Growther e a irreverência de Merlin, acabam por fazer a história ser ainda mais legal de se acompanhar. Vale ressaltar também o porco Hawk. O personagem ganha um grande destaque na história por seu companheirismo e por sua facilidade em ficar irritado, principalmente quando é ameaçado de parar na panela.

O mais interessante de toda obra, seja no mangá ou no anime, são as referências históricas na construção dos personagens, tanto os principais quanto os secundários. Para quem já leu as histórias do Rei Arthur de Camelot, vai se identificar com alguns nomes que aparecem durante a história. Meliodas é inspirado no Rei Meliodas da lenda do Rei Arthur. Ban é Growther, outros pecados capitais, são inspirados também em reis. O primeiro tem o mesmo nome do pai do Cavaleiro Lancelot. O segundo é inspirado no rei que é conhecido por ser meio irmão do mago Merlin. Aliás, este último também é um Pecado, mas na história é representado por uma mulher.

Além das referências, vale destacar a bela animação que apresenta a história. O anime apresenta traços muito bem trabalhos, cores que chamam atenção, além do cuidado com a luz usada na obra, que deixe as cenas de batalha muito mais épicas. 

O que fãs do anime estão ansiosos é para o lançamento da 2ª temporada, que está previsto para o ano que vem. Na história, conheceremos o sétimo pecado capital, Escanor, além dos Dez Mandamentos e dos planos dos vilões. Lembrando que o mangá de The Seven Deadly Sins esta é andamento. No Brasil, o mangá é distribuído pela editora JBC.