Cada indivíduo traz consigo um emaranhado complexo de vivências, culturas, traumas e afins. Para além de likes e fotos nas mídias sociais, somos feitos de histórias. Esse conjunto de fatores que nos torna quem somos se expressa em nós e no nosso universo particular/coletivo. É claro que não é possível passar ileso pela vida, ainda que aquilo que postamos não demonstre exatamente isso, não é mesmo?!

O grande (imenso) contraponto a essa tendência natural – ou que ao menos deveria ser natural – é que somos indivíduos criados dentro de uma sociedade que impõe padrões severos, e que nos cobra perfeição dentro da nossa (humana e incrível) imperfeição. De forma geral, estar dentro de um padrão de um lado é deixar a desejar no outro. Ser um aluno excelente pode acarretar em faltar a academia (pilates, dança ou o que goste de fazer para se manter em movimento). O contrário é a mesma problemática: Realizar atividades que nos deixem “endorfinados” no geral toma um tempo precioso… E quando conseguimos dar conta disso tudo, negligenciamos nossos amigos, nossas séries e demais prazeres. Horas no salão, na academia, nas lojas (consumindo e consumindo). Mas o que nos leva a crer que tudo isso é tão necessário?

Sim, é um massacre as doses de informação que recebemos dia após dia nos dizendo como devemos ser e nos comportar… E nunca será suficiente: Gordo demais, magra demais, muito baixo, tem estrias, celulites, não entende nada sobre determinado assunto… E nesse mar de cobranças impostas desde muito antes de termos condições de entender, já estávamos agindo dentro dessa busca infindável.

A boa notícia é que não precisa ser assim (De verdade!)! E que percebendo isso muita gente incrível começa a mostrar como é lindo viver dentro da beleza que se tem, ainda que fora dos padrões impostos. E aqui não falo somente de ser alto, magro e com cabelos e olhos claros. Pois mesmo fora deste padrão são impostos outros padrões igualmente inalcançáveis: a negra com cabelos com ondas perfeitas, a gorda com cintura fina (e como certas marcas viajam ao elegerem suas plus sizes, né?!). Mas voltando ao que interessa: Cada dia que passa mais manas e manos se dão conta de que o corpo que habitam são a melhor casa que se poderia ter, e assim, passam a mostrar sua história sem pudores e vergonhas.

Cada vez mais o estilo se expressa livremente pelas roupas, cabelos, tattoos.

Hoje, não raro, vemos meninas na noite muito belas, empoderadas e orgulhosas de suas dobrinhas, estrias, celulites, crespinhos… E aos poucos a sociedade vai percebendo que não cabe mais um contexto midiático e cultural tão pouco representativo.

E também rapazes ousando cada vez mais em composições “afrontosas”. Sim, está podendo! E muito! Criando looks com peças antes ditas femininas, com cabelos que passeiam por muitas tendências (blacks, rainbow…). Mix de estampas, sobreposições, maxiacessórios… As possibilidades são infinitas, mas sempre com um recado claro: “Somos donos de nossas histórias! E com ela nos expressamos livremente!”

Para ajudar a rever seus conceitos e mostrar que você deve aderir a essa onda crescente de autoestima que começa a tomar conta de tudo, vai aí uma “surrinha de closes certos” retirados do Instagram para se inspirar!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Daqui já dá pra ver como somos lindes e diverses… E, por isso, não faz sentido não amar cada centímetro do próprio corpo.

Nesse ritmo, duas amigas desenvolvem um trabalho sensível sobre a beleza feminina em suas minúcias. O projeto “Com Amor Elas” (@projetocomamorelas ) mostra com muita delicadeza toda beleza por trás de mulheres reais. Mulheres que dividem de angústias e delícias comuns, e nesse projeto são retratadas com toda verdade e poesia que merecem. Trazendo um trabalho inspirador e capaz de empoderar muitas…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Então se liberte, pois está mais do que podendo. Aliás, sempre pôde. Mas é bem verdade que ao percebermos que nossos iguais estão tão felizes e confortáveis sendo exatamente como são, nos tornamos também mais donxs de nós e de nossa imagem. E é por isso que a troca é tão importante! Sair da bolha e ver que o mundo é muito mais colorido e possível do que vemos estampado nas revistas, nos lookbooks ou mesmo nos instagrans de blogueiras e celebs.

Então mostre sem pena: suas curvas, suas marcas, seus cabelos, sua pele, seu estilo! Pode sim ser gorda e usar cropped, mas também pode usar camisetão se preferir. Pode ser magra e se mostrar sem medo, ter coxas grossas e colocar de fora. Pode rapaz usar saia, colar, ou bermudão com camiseta básica. Uma boa produção parte, antes de tudo, da satisfação em se olhar no espelho e saber o quanto o que está ali é lindo. Então, bora se jogar! <3