Você já parou para pensar que certas deficiências físicas poderiam te impedir de aproveitar seu jogo favorito? Diferentes games baseiam-se em nossos diferentes sentidos e até capacidade de locomoção. Só que isto, na maioria dos casos, pode terminar excluindo muita gente da diversão! Este não é o caso de Moss”, um título de aventura, em realidade virtual, que será lançado até o final do ano para PlayStation 4, onde você mesmo é o protagonista, acompanhado por Quill, um ratinho que se comunicará contigo pela linguagem de sinais.

Richard Lico, o diretor de animação do estudo, explica como surgiu a ideia, em post da fanpage oficial: “Como ela (Quill) só pode guinchar, pensei que poderíamos jogar com a forma pela qual ela se comunica com o jogador. Também será uma ótima qualidade para nossos jogadores surdos.

A mecânica de “Moss” promete usar o máximo das possibilidades da realidade virtual. Além de interagir constantemente com Quill, ele poderá mover objetos e interagir com o ambiente, a fim de solucionar diversos quebra-cabeças (ou, como muitos gamers já chamam: puzzles), num mundo repleto de ambientes e criaturas fantásticas.

O jogo chamou a atenção na última E3, sendo inclusive indicado nas votações promovidas por vários portais, ao título de melhor jogo em Realidade Virtual. Agora, só nos resta aguardar pelo lançamento, para sabermos como essa grande jornada – que parece ser bem inspirada pelos excelentes jogos de aventura dos anos noventa – poderá conquistar o mundo gamer e incluir muita gente a mais na diversão.

Quill se comunicará com o jogador pela linguagem de sinais em “Moss”

Mudando o jogo para todos

A jornada maior, no entanto, está além de “Moss” para outras pessoas. Em 2004, foi fundada nos EUA a ONG AbleGamers, que busca auxiliar jogadores e desenvolvedores nas diversas questões de acessibilidade. Em muitos casos, a infraestrutura necessária, que pode incluir, por exemplo, controles customizados para se adaptar às necessidades dos jogadores, pode sair bem caro, e não são todos que podem pagar, e é aí que a ONG ajuda gamers.

Além disso, a organização também busca promover o diálogo entre jogadores e desenvolvedores de jogos em busca de maior acessibilidade. Em alguns casos, estes jogadores podem ser até serem chamados para testar jogos, a fim de melhorarem o produto final.

A página oficial da AbleGamers também tem um blog, em inglês, onde você pode ler análises da acessibilidade dos mais diferentes jogos e consoles.

No Reino Unido, é a Special Effect (neste caso, uma organização com ligação ao governo), faz um trabalho similar, reconhecendo a capacidade do videogame enriquecer a vida de qualquer pessoa. Enquanto não conhecemos ainda este tipo de iniciativa no Brasil (se houver, adoraremos conhecer melhor, basta usar a sessão de comentários lá no final!).

Alguns dos exemplos de avatares que os jogadores de Xbox poderão fazer, com a atualização que será lançada ainda em 2017.

E onde estão os jogos acessíveis

Quanto aos consoles, o PlayStation 4 é provavelmente a principal plataforma com acesso ao VR no momento – que é importante ressaltar, afinal, este tipo de tecnologia possibilita maior acessibilidade aos games em geral. O Xbox One, por sua vez, tem funções relacionadas ao (gradualmente esquecido) Kinect, bem como a função co-piloto, que permite mapear em dois joysticks diferentes os controles de jogo. Já o Nintendo Switch, por sua vez, parece ter funções mais amigáveis com acessibilidade, como ressaltado pelo próprio blog da AbleGamers, que citamos acima.

Dos consoles que citamos, o Xbox One ainda deve lançar este ano uma atualização em seus avatares: aqueles bonequinhos que todo jogador customiza como quiser, para representar sua imagem virtual. Mas o que isso tem a ver com acessibilidade? A atualização possibilitará aos gamers colocarem próteses e/ou cadeiras de rodas em seus avatares. Indo ainda mais profundamente na representatividade, a atualização também disponibilizará roupas e acessórios livres de gênero! Embora tudo isso seja gancho até para outro post, não podemos deixar de nos impressionarmos com a determinação da Xbox em representar realmente todo jogador!

E você, conhece algum jogo, console, acessório ou até um grupo de pessoas no Brasil querendo tornar os videogames acessíveis para todos? Comentem aí!

CLOSE
CLOSE