Exposição “A Máquina do Mundo” marca abertura do espaço, que tem 1500 m2, cinco salas expositivas, ateliês de sete artistas visuais, a coleção de Fábio Szwarcwald e a redação da SANTART.

escada-interna-z42-arte_dsc_3032-2

Escada Interna do Z42 Arte

No próximo dia 24 de setembro, o Rio de Janeiro ganhará um novo espaço dedicado às artes visuais, a Z42 Arte. Localizado em uma linda casa dos anos 1930, no Cosme Velho, ao lado do acesso ao Corcovado, o espaço, de 1500 metros quadrados, terá cinco salas expositivas climatizadas, totalmente preparadas para receber as mais diversas obras de arte, além de abrigar ateliês de sete artistas visuais, a importante coleção de Fábio Szwarcwald e a redação da SANTART, publicação de artes visuais premiada no Benny Awards (Chicago, 2013) como a melhor do mundo no segmento fine art. Todos os espaços serão abertos para visitação.

“A Z42 é um espaço de arte e pensamento, um misto de galeria de arte e ateliês de artistas. É um polo de cultura, vivo, pulsante, com uma programação qualificada, onde o público terá a oportunidade de ter contato direto com os artistas em seus ateliês”, diz Eduardo Lopes, diretor da Z42 Arte.

A exposição inaugural, “A Máquina do Mundo”, com curadoria Sérgio Mauricio Manon e Clara Reis, editores da SANTART, ocupará as cinco salas expositivas no térreo, com 26 obras, dentre esculturas, fotografias, pinturas e instalações, de 22 artistas: Anthony Goicolea, Cadu, Charlie White, Conrad Schawcross, Erwin Wurm, Henrique Oliveira, Isaque Pinheiro, João Castilho, Jorge Barata, José Bechara, Katia Wille, Leda Catunda, Marcio Atherino, Maria Lucia Fontainha, Mariana Palma, Mauro Piva, Reginaldo Pereira, Rodolpho Parigi, Rona, Sergio Mauricio, Talitha Rossi e Walmor Corrêa.

“A experiência da ‘Máquina do Mundo’ vai além de uma exposição convencional nas galerias expositivas. Todos os espaços da Z42 Arte foram concebidos como ambientes para mostras – afim de convidar o expectador para uma imersão artística. Os sete artistas residentes vão apresentar uma montagem especial em seus ateliês, batizada de ‘Universos Paralelos’ e o espaço do colecionador Fabio Szwarcwald vai abrigar uma mostra do projeto Aurarte”, contam os curadores.

O nome da mostra surgiu do poema de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) e também do capítulo que leva o mesmo nome em “Os Lusíadas”, do poeta português Luís Vaz de Camões (1520-1580). “O resultado é uma narrativa poética que mescla o verbo e as imagens, na tentativa de capturar o espírito do tempo”, explicam os curadores. Há cinco meses, os artistas, os curadores e convidados se reúnem para leituras constantes dos poemas. A partir dessa experiência foi realizado um recorte curatorial, que mescla os artistas da coleção de Fabio Szwarcwald com os artistas residentes: Jorge Barata, Katia Wille, Maria Lucia Fontainha, Marcio Atherino, Rona, Sérgio Mauricio Manon e Talitha Rossi.

“Nos inspiramos nos poemas de Carlos Drummond de Andrade e Camões e na fortuna crítica sobre eles. É como se os dois grandes poetas da língua portuguesa fossem uma espécie de ‘curadores imaginários’. Afim de trazer o tempo poético para o processo criativo da mostra, organizamos rodas de leitura e análises sobre os poemas entre os artistas”, contam os curadores Sérgio Manon e Clara Reis. Cada obra será acompanhada de um pequeno texto curatorial, que “dará um retrato de nossa época”.

ATELIÊS ABERTOS 

Paralelamente à exposição, os ateliês dos sete artistas visuais da Z42 Arte, abrigarão exposições individuais e estarão abertos para visitação. Com isso, o público poderá ter acesso ao universo paralelo de cada artista. “Será possível ver as obras na exposição coletiva e depois subir para conhecer um pouco mais do universo do artista, e sua forma de criação”, ressaltam os curadores.

HISTÓRIA DA CASA

A casa que hoje abriga a Z42 Arte foi construída pelo engenheiro Raimundo Bezerra Santiago, na década de 1930, para ser sua residência. Depois disso, foi moradia de um cônsul japonês e pertenceu à família Laura Alvim. Comprada por Ahmad Moukhtar Zein, passou a ser sede da construtora Zein. Após a mudança da empresa para o centro da cidade, até passar a abrigar a Z42 Arte. O espaço passou por uma grande reforma para poder ser um espaço cultural,  sonho antigo de Zyan Zein, sócia do espaço.

A imponente fachada de pedra esconde um lindo espaço interno, com portas trabalhadas em ferro, além de uma linda escadaria curva, com grades também em ferro trabalhado. Três grandes vitrais acompanham o percurso do visitante rumo ao segundo andar do casarão. Há, ainda, um pátio interno.

Z42 é um espaço inovador dedicado às artes visuais em suas mais variadas vertentes, linguagens e pensamentos. Localizada em uma casa de arquitetura eclética dos anos 1930, com 1.500 m2, abriga sete ateliês, cinco espaços expositivos, a coleção particular de Fabio Szwarcwald, além de um auditório e a redação da SANTART.

Saiba mais em nossa Agenda:

Agenda