No artigo anterior falamos de conceitos que se originaram a partir do uso intenso das tecnologias e da internet. Eles compõe uma base essência para compreender o mundo digital. Desta vez vamos abordar os dois principais vetores que constituem uma Presença Digital bem estruturada e orientada a resultados. Talvez você já tenha ouvido falar deles, porém agora vai entender como funcionam.

Conteúdo
Este conceito já recebeu algumas metáforas e até uma disciplina própria: o marketing de conteúdo. Sim, ele é realmente importante assim e o motivo tem muito a ver com a modificação que as novas tecnologias provocaram nas pessoas. Os tradicionais formatos de propaganda não estão mais surtindo efeito na audiência dos canais e mídias digitais, eletrônicas e impressas. As principais causas passam pelo empoderamento do usuário e pela economia da atenção, ambos descritos no artigo anterior.

Utilizar os canais de comunicação digital para compartilhar conteúdo relevante e de qualidade gera pontos de contato importantíssimos com a audiência. Estes pontos, além de representarem a porta de entrada para relacionamentos sustentáveis, ainda atribuem autoridade a quem publica, tornando-se referência no assunto.

Eu gosto de entender o conteúdo como o combustível que circula nos canais digitais para alimentar um relacionamento baseado na confiança e fortalecer a Presença Digital. Mas ao contrário do que pode parecer, produzir conteúdo não é tarefa das mais fáceis. Além do próprio conhecimento em si e da disciplina em criar, é imprescindível elaborar um planejamento para esta atividade, com objetivos bem claros e focados na audiência.

O planejamento de conteúdo deve levar em conta as necessidades do público-alvo para definir os assuntos e abordagens a serem adotados. A linguagem também é muito importante, ela deve ser acessível ao público alvo. Escrever um blog sobre mecânica de automóveis usando uma linguagem retórica com toda certeza vai afastar os leitores.

Outro ponto importante é entender que propaganda de produtos e serviços não é conteúdo. Não que seja proibido, mas é preciso dosar bem estas ações, deixando-as bem diluídas entre conteúdos mais interessantes e úteis à audiência.

A regra geral é que o conteúdo deve ser útil  relevante para a audiência. Lembre-se que o público atual é muito mais exigente e também pode interagir com o conteúdo graças às mídias digitais. Dessa forma, o conteúdo é uma via de mão dupla, por isso ele promove o relacionamento.

Relacionamento
Aqui também existe uma disciplina constituída, o Marketing de Relacionamento. Porém não vou utilizar os termos técnicos de modo a deixar o assunto mais digerível. Basicamente podemos dizer que o importante é conhecer bem a audiência e as suas necessidades a fim de oferecer a solução ideal, no tempo certo e a um custo acessível.

Como eu já disse, o consumidor está num caminho de não acreditar mais em propaganda. Antes de adquirir um produto ou serviço, ele quer conhecer melhor o provedor e as soluções oferecidas para compreender se é o que precisa e até comparar com os concorrentes. Por isso a Presença Digital tem que ser proativa e focada nas necessidades da audiência. E o melhor caminho para gerar e construir relacionamentos é através do conteúdo útil e relevante que atrai e conquista o cliente em potencial.

Não importa se a sua audiência se constitui de milhões, milhares, centenas ou apenas alguns poucos indivíduos, é imprescindível manter um registro das ações e interações que o relacionamento gerou. Tecnicamente esse registro e análise dos pontos de relacionamento se chama Customer Relationship Managementt (CRM). Mas você não precisa de softwares caríssimos para praticar o CRM. Uma boa e bem organizada planilha resolve muito bem.

Quando bem alimentado, o CRM funciona em três instâncias: a operacional, onde são imputados os dados; a analítica, que interpreta os dados e os transforma em informações úteis e por último a colaborativa, onde o conhecimento sobre o cliente é compartilhado entre os diversos setores da organização, para que cada qual utilize a informação da melhor maneira.

Quando o conteúdo produzido funciona em sinergia com a gestão do relacionamento, o resultado é a conquista de clientes, consumidores e afins. O cenários onde isso tudo acontece é o chamado Funil do Marketing Digital. Trata-se de um paradigma que embasa e norteia o conceito de inbound marketing. Estes conceitos são bem mais avançados e serão abordados futuramente nesta coluna.

O objetivo de hoje foi demonstrar porque a Presença Digital deve ser ativa e como ela funciona em seus alicerces primordiais: o conteúdo e o relacionamento. O exercício que eu te proponho é enxergar no seu negócio profissional ou na sua atuação pessoal, como estes conceitos podem ser úteis.


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Tercio Strutzel

Tercio Strutzel ama ler, escrever e desenhar histórias em quadrinhos. Foi editor do fanzine Paralelo, mas hoje quase não consegue tempo pra desenhar. Se especializou em Presença Digital, mas tem diversos projetos fervilhando na mente. Está sempre em busca de atividades culturais por São Paulo. Também é serial reader de Ficção, Fantasia e Terror e viciado em séries.

Previous Concept Store de São Paulo recebe peças exclusivas e inéditas da Iron Studios do novo filme Rogue One: Uma História Star Wars
Next Crítica: Trolls

2 thoughts on “Os dois vetores da Presença Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE