Mihaela Noroc

Fotógrafa de 30 anos de idade oriunda de Bucareste, Romênia. Sendo seu pai um pintor, sua infância estava cercada por cores. Quando tinha 16, descobriu a fotografia mas, infelizmente, não poderia viver só com fotos, então se viu obrigada a trabalhar em outros campos, para obter uma renda sustentável.

13606957_596915757144253_1939471830213709394_n

Viajar durante as férias como um mochileiro, em diferentes partes do mundo, a fez descobrir a diversidade do nosso planeta.

Em 2013, insatisfeita com o seu trabalho, decidiu parar sua vida monótona em Bucareste e colocar todos os esforços em suas maiores paixões: fotografia e viagens. Começando uma viagem ao redor do mundo, com pequenas economias feitas em anos de trabalho e resolveu fotografar mulheres de ambientes muito diversos e compartilhar seus retratos no Facebook, iniciando pela Etiópia o qual foi inspirada por uma impressionante cultura regional.

Nomeou o projeto de “The Atlas of Beauty”, ou “Atlas de Belezas Diversificadas” porque queria celebrar as mulheres de todos os cantos do planeta e suas diversas culturas.

Através da fotografia, Noroc mostra que a beleza está em nossas diferenças, e não é sobre as tendências, dinheiro , mas sobre ser você mesmo, natural e autêntica.

Acho que devemos aprender a ser nós mesmos, mas também devemos aprender a deixar os outros serem eles mesmos. Muitas pessoas de todo o mundo enfrentam a discriminação só porque eles têm uma cor determinada, religião, etnia ou, na maioria dos casos, porque são mulheres. Para mim, a beleza é a diversidade e acho que ela pode nos ensinar a ser mais tolerante.

Diz Mihaela Noroc

13613343_596915900477572_6532429815952499415_o
Foto: Irã

O projeto, que já tem três anos, tem se tornado um dos mais populares mundo afora. Noroc já percorreu mais de 50 países e deseja continuar registrando as diferentes belezas femininas espalhadas pelo mundo.

Confira a seleção de fotos que mostram um pouco do trabalho de Noroc aqui.

Por: Maurício Santos


Apoia-se

Show Full Content
Previous Panquecas espaciais alucinantes
Next Crítica – Entre idas e vindas

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close