Os brasileiros têm ganhado cada vez mais notoriedade no circuito mundial das artes. O MoMA, Museu de Arte Moderna de Nova York, dedicou uma página às obras doadas pela colecionadora venezuelana Patrícia Phelps de Cisneros que, dentre as 145, estão diversos brasileiros como Waldemar Cordeiro, Oswald de Andrade, Alfredo Volpi, Lygia Clark, Helio Oiticica, Luis Sacilotto e Abraham Palatnik.

O orgulho é duplo! Primeiro pelos brasileiros fazerem parte de uma coleção ímpar e segundo por elencarem o acervo do MoMA, que dispensa adjetivos.

Esculturas de Lygia Clark figuram esta indescritível coleção. Uma delas é a obra Sundial, parte da série “Animais”, iniciada em 1960. São esculturas de metal cujas formas podem ser modificadas, dobrando-se em maneiras diferentes ao longo de um eixo.

Lygia Clark – Sundial (1960)

O carioca Helio Oiticica está representado com diversas obras, entre elas Metaesquema (1958). O MoMA destaca as influências de Mondrian e Malevich em suas abstrações geométricas, com ênfase nas formas que parecem flutuar fora da superfície do papel.

Helio Oiticica – Metaesquema (1958)

Arte no sangue

Patrícia Phelps de Cisneros é casada com Gustavo Cisneros, presidente do Grupo Cisneros, uma potência do segmento de comunicação, entretenimento, turismo, setor imobiliário e mídias digitais. Sua coleção foca a arte moderna e contemporânea latino-americana e, desde 1970, tem apoiado a educação e as artes, seja pela Fundação Cisneros, como sua participação nas mais importantes instituições. Patrícia é membro da Fundação Bienal de São Paulo, do Museum Berggruen, na Alemanha, da Universidade de Harvard, do Museu Reina Sofia, na Espanha, e do próprio MoMA. Em seu vasto currículo estão, ainda, Tate de Londres, Associação Centro Pompidou America Latina, Metropolitan e Museu de Belas Artes de Caracas.

Confira algumas das criações dos mestres que nos orgulham em dizer Made in Brazil! As 145 obras estão no site do MoMA.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Por Ricardo Franzin