Nessas eleições, mais do que nunca as redes sociais, estão assumindo o protagonismo. Os debates entre os candidatos, que dá o tom do “clima de eleições” que se instaura no país até outubro, são televisionados, é verdade. Contudo, para saber o que aconteceu não é mais necessário ligar a televisão naquele determinado horário e naquele determinado canal, as redes sociais e blogs especializados repercutem absolutamente tudo. Até um dia depois dos debates e sabatinas os trending topics do Brasil não são outros que não relacionados ao que foi dito e feito pelos candidatos na televisão.

Hoje, os candidatos já compreendem que é muito mais eficiente investir em propagandas em suas contas oficiais do Twitter e Instagram do que dentro do horário partidário obrigatório nas televisões abertas. Por isso, hoje as contas verificadas dos candidatos à presidência da Repúblicas tem hashtags, memes e GIFs, tudo para atrair a atenção e o voto dos eleitores internautas. Qual o candidato que tem mais seguidores e qual é mais buscado no Google, esses dados hoje parecem ter mais peso até do que uma eventual pesquisa Datafolha.

Se a internet e as redes sociais são uma importante ferramenta para os candidatos conquistarem os eleitores, a web também pode ser uma ferramente imprescindível para os eleitores escolherem seus candidatos. Aplicativos e sites checam as fichas criminais dos políticos, expõem ideias centrais de cada candidato para que o eleitor veja se tem ou não afinidade com o posicionamento de A ou B, desmentem possíveis fake news relacionadas aos elegíveis e orientam o eleitor na hora do voto. E para orientar você nesse mar de sites, apps e extensões, nós fizemos uma lista com alguns deles bem práticos e úteis:

1- Detector de Corrupção: Lançado pelo site de reclamações de consumidores “Reclame Aqui”, o Detector de Corrupção é um aplicativo que vai ajudar os eleitores a saberem se seu candidato tem ou não “ficha suja”. Funciona de forma bem simples: basta apontar a câmera do celular para o rosto do político quando ele aparecer na TV, em sites, jornais ou revistas e o aplicativo mostra todas as informações dos inquéritos oficialmente instaurados contra a figura pública em diversas instâncias da Justiça.

2- Cor da Corrupção: Também lançado pelo “Raclame Aqui”, o “Cor da Corrupção” é uma extensão para navegadores que destaca em qualquer página da web, o nome de políticos que estiverem com pendências judiciais.

3- Appoie: Através deste aplicativo é possível dar sua opinião sobre projetos que tramitam no Congresso, indicar sua posição política e encontrar o político que tem ideias mais próximas às suas além de manifestar seu apoio aos seus candidatos favoritos. Além disso, o app mostra as “surpresas” que podem vir com o seu candidato: parlamentares da coligação do seu candidato que também entrarão nos cargos se ele for eleito.

4- Tem meu voto: Este app funciona mais ou menos como funcionava o Veto ou Voto, que viralizou em 2014. Os usuários respondem sete perguntas sobre seus desejos para o Brasil e o sistema vai selecionando os candidatos com ideias semelhantes. Quando restarem apenas 10 elegíveis, o sistema disponibiliza informações sobre os candidatos como biografia, processos e condenações.

5-  Vote na web: Este site tem uma ideia bem simples, mas esclarecedora. O “Vote na Web” mostra o que fizeram em seus últimos mandatos os políticos que estão concorrendo a algum cargo nestas eleições. Ele lista os projetos apresentados ao Congresso pelos candidatos e quantos foram aprovados ou vetados. Um ponto interessante do site é que o usuário pode cadastrar-se para votar nos projetos que ainda estão em tramitação e depois comparar o voto dos congressistas ao voto dos internautas.

6- OPS Fiscalize: Este aplicativo não é voltado especificamente para as eleições, mas é dá uma ideia do perfil dos políticos que são candidatos. O OPS Fiscalize permite a qualquer pessoa fiscalizar os gastos realizados por deputados federais com a verba indenizatória, dinheiro público destinado à reposição de despesas feitas pelos parlamentares no exercício do mandato. É possível também classificar os gastos como “confiável”, “suspeita” e “não sei”. O OPS (Operação Política Supervisionada) já conseguiu fazer uma economia de 5,5 milhões de reais de dinheiro público. Além de fiscalizar, a OPS exige diretamente dos parlamentares fiscalizados a devolução aos cofres públicos dos valores indevidamente utilizados.

7- #MeRepresenta: Este site tem como finalidade te ajudar a encontrar os políticos que defendem as mesmas pautas que você. O foco é justamente a representatividade, além de apoiar ou ser contra pautas de minorias é possível filtrar candidatos por gênero e raça. Depois que encontra os candidatos que mais ter a ver com você é possível ter um pequeno resumo de suas biografias, quantos votos teve nas últimas eleições e se foi contra ou a favor de cada uma das pautas que você também votou.

8- OAB Voto Legal: Lançado pela Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná, este aplicativo permite a qualquer cidadão denunciar irregularidades eleitorais. Após a denúncia, o órgão vai apurar se o fato realmente configura uma infração à legislação eleitoral e, em caso afirmativo, encaminhar ao Ministério Público. A ideia inicial era ter uma plataforma para denúncias de uso de caixa 2, mas hoje é possível denunciar qualquer infração eleitoral como distribuição de santinhos em lugares proibidos e compra de voto.

Estes são apenas alguns dos meios que o eleitor tem para se informar sobre os candidatos, suas intenções e passado. Mas é importante também estar de olho nas notícias, debates e sabatinas de cada um. O voto certo é o voto consciente.