No dia 18 de maio, 6ª feira, reestreia a peça “Édipo e o Rei, um Acidente Mitológico”, no Teatro dos Quatro, na Gávea, com direção de Adriano Coelho. O texto, da roteirista Laura Rissin, é uma bem-humorada paródia da clássica tragédia de Sófocles, Édipo Rei, representada pela primeira vez em 430 a.c.

O elenco inclui sete atores que se destacam na dramaturgia nacional. Os protagonistas são interpretados por Francisco Vitti (Édipo), Gabriela Rosas/Verônica Reis (Jocasta), José Karini/Rodrigo Candelot (Laio) e Beto Bruno (Creonte). O coro é formado por Breno Motta, Cadu Libonati/Hugo Lobo e Ranther Melo.

Com um tom cômico, a peça subverte a trama original de Sófocles, incluindo a paixão de Édipo por Laio. Representada em três atos costurados pelo coro, a montagem propõe um desfecho menos sofrido para Laio, Édipo e Jocasta.

“A proposta é fazer um espetáculo divertido, satirizando uma tragédia tão definitiva. O humor ajuda a lidar com as questões tratadas na peça, que nessa versão inclusiva, cita diferentes formas de amor.” – comenta a autora Laura Rissin.

“Sem pretensão alguma e com forte influência do teatro “besteirol” carioca, procuramos o humor no trágico. E, descobrimos que esta mistura funciona.” complementa o diretor Adriano Coelho.

Foto: Divulgação/Junior Fritto

Saiba mais sobre a peça:

Sinopse:

O oráculo de Delphos prevê que Édipo será o assassino do próprio pai. A fim de evitar a profecia, ele foge do Corinto, e vai para Tebas, cidade governada pelo rei Laio e pela rainha Jocasta. Mas a cidade é dominada por uma terrível esfinge e, num ato heroico, Édipo derrota o monstro e liberta a cidade. Os tebanos passam a adorá-lo, inclusive Laio e Jocasta, despertando a ira dos Deuses. Tebas é então castigada. Em busca da cura para a cidade, os reis descobrem que são os pais de Édipo. Tocados pela descoberta, Laio, Jocasta e Édipo traçam um rumo diferente da tragédia de Sófocles.

Adriano Coelhor  – Diretor

Foi integrante da Cia. Prática de Teatro durante 3 anos. Após uma pós-graduação em Film Studies, na New York University (EUA), participou de diversos trabalhos como produtor e assistente de direção em cinema e publicidade. Desde 2003, trabalha na Rede Globoaonde tem atuado como diretor de programas como Linha Direta, Tv Xuxa, Domingão Do Faustão, Criança Esperança,Vídeo Show e Lazinho com VocêAtualmente é diretor responsável da próxima temporada do programa Amor e Sexo.

Laura Rissin – Autora Roteirista

Formada em Comunicação pela ECO/UFRJ e em Letras pela PUC Rio. Desde 2000 colabora em minisséries, seriados e novelas da Rede Globo como O Pecado de Porto Negro, Malhação e Suburbanos. No cinema, colaborou nos longas Um Casal Inseparável de George Moura e Sergio Goldenberg; e J. Sisters, de Patrícia Andrade. Selecionada para o pitching do 19º Festival de Cinema do Ceará com o argumento do longa O Galã.

Francisco Vitti – Édipo

No teatro atuou nas montagens: Dostoievski, uma alma arranhada nas areias de Ipanema, direção de Cico Caseira, Nada vai nos separar, direção de Cacá Mourthé e Jovem Estudante Procura, direção de Isabella Sechim. Na televisão participou de duas temporadas de Malhação: Seu lugar no mundo (2015/2016) e Pro dia Nascer Feliz (2016/2017). No cinema, atuou em diversas produções: Mergulho, longa dirigido por Pedro Ferreira; Duelo antes da Noite, curta dirigido por Alice Furtado (exibido festival de Cannes); Mate-me por favor, longa dirigido por Anita Rocha e Filhos de Bach, longa dirigido por Ansgar Ahlers.

Gabriela Rosas – Jocasta

Estudou Teatro em Paris, na École Philippe Gaulier de Théâtre. Seu último trabalho em São Paulo foi um monólogo, dirigido por Marcelo Rubens Paiva, com o qual foi convidada para o Festival de Teatro de Curitiba. No Rio, suas últimas peças foram: Perdoa-me Por me Traíres, O Pena Carioca, A Hora Perigosa, Nadistas e Tudistas e Decote – todas dirigidas por Daniel Herz. No cinema, participou do filme Aparecida e de alguns curtas, entre eles Noite De Sol (Kikito de Melhor Atriz, no Festival de Gramado). Gabriela Rosas também foi apresentadora por 4 anos do programa Madrugada Vanguarda, da Rede Vanguarda, afiliada da Rede Globo, no interior de São Paulo.

Verônica Reis – Jocasta

Atriz fundadora da Cia Atores de Laura e professora de interpretação. Estudou teatro na Casa de Cultura Laura Alvim com Daniel Herz e Susanna Kruger entre 1990 e 1994. Na Cia. participou de diversos espetáculos, entre eles “Romeu e Isolda” (que participou da La Biennalle Théatre Jeunes Public Lyon, na França). Fora da Cia, atuou em algumas montagens da dramaturga Renata Mizhari: “Os Sapos” (direção de Renata Mizhari com Priscila Vidca) – no qual ganhou como Melhor Atriz o Prêmio FITA de teatro ; “Silêncio” 2014 (outra direção da dupla) – no qual recebeu indicação de Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio FITA de Teatro; e “War” (direção de Diego Molina).  Seu último trabalho em 2017 foi o espetáculo “Ubu-rei” junto com a Cia. Atores de Laura em comemoração aos 50 anos de carreira de Marco Nanini, protagonista da peça.

José Karini – Laio

Formado no Curso Profissionalizante de Ator pela CAL e graduado em Teoria do Teatro pela UniRio (2002). Integra a Cia Teatral Os Dezequilibrados, com direção de Ivan Sugahara, desde 2001. Atuou em diversos espetáculos com a companhia: Bonitinha, mas Ordinária, Vida, o filme, Estupidez, Mulheres Sonharam Cavalos, A Serpente, Amores e Beija-me como nos Livros.Também trabalhou em diversas produções com diretores como Bruce Gomlevski, Roberto Alvim, Felipe Vidal, Danielle Martins de Farias, entre outros. No cinema, participou das novelas A Regra do Jogo e A Lei do Amor.

Rodrigo Candelot – Laio

Já atuou em mais de 18 peças, entre elas O filho do Presidente (de Christopher Shinn), direção de Marcus Faustini, e o musical da Disney, O Rei Leão, de Julie Tamor.Recentemente, dirigiu Enrolados, a comédia sua primeira peça, em que também atuou. No Cinema, Rodrigo participou de alguns longas entre eles De Pernas para o Ar, de Roberto Santucci e Tropa de Elite 2, de Jose Padilha. Na TV, participou de inúmeros programas e novelas como Tempo de Amar (TV Globo), Milagres de Jesus (TV Record), O Refém e Borges Importadora (Porta dos Fundos), Enredo de Bamba e Insônia (Canal Brasil), entre outros. Também gravou durante 4 anos a série voltada pra o público infantil Detetives do Prédio Azul (do canal por assinatura Gloob). Rodrigo já foi professor da CAL, dá aulas na Academia Nacional de Atores e ministra cursos livres pelo Rio e pelo país.

Beto Bruno – Creonte

Faz parte da companhia teatral Os Privilegiados dirigida e fundada por Antônio Abujanra, com a qual participou como ator em diversas montagens: O que é Bom em Segredo é Melhor em Público,O Auto da Compadecida, O Casamento, Tróilo e Cressida, entre outras. Fez algumas participações na TV Globo em novelas e minisséries: Caminho das Índias, Amor Eterno Amor, Malhação, Os Aspones, A Teia, Sol Nascente , A Força do Querer, Rebu, entre outras. No cinema, atuou em O Homem Nú, com direção de Hugo Carvana, Copacabana, com direção de Carla Camurati e Meu Nome não é Johnny, com a direção de Mauro Lima.