Hey, Houston!!

O nosso papo de hoje é para os gastronautas amantes de queijo!

Se você é como eu, só de ouvir a palavra queijo, já deve estar com água na boca. E vai ficar mais ainda, quando disser que vamos conversar sobre fondue de queijo.

Hummmm… Que delícia!! Ou como diria minha mãe, “Êta coisa boa”! E com esse tempinho de outono-inverno não tem nada melhor, não é? Mas antes de mais nada, vamos à uma curiosidade…

Fondue, diferentemente do que muitos pensam, é uma palavra feminina.

Achou engraçado? Normal! Mas é a pura verdade. É estranho porque já devia estar acostumado a se referir no masculino. Mas agora que já sabe, no lugar de falar “o” fondue, o correto é  dizer “a” fondue. No início vai ser um pouquinho difícil, mas com o tempo passa a ser natural.

A fondue originou-se na Suíça francesa e significa mistura fundida de muitos queijos. E diante de muitas histórias que encontramos sobre a sua descoberta, contamos hoje a que diz que tudo começou na Idade Média, nos Alpes da Suíça, em conseqüência de uma inesperada super produção de queijos.

Como outras tantas glórias da gastronomia, essa também nasceu de uma necessidade e nesse caso seriam os helvéticos, que eram exímios produtores de laticínios, que inclusive exportavam às nações vizinhas. Um dia, uma nevasca terrível isolou completamente um determinado ponto da Suíça, ao redor de Neuchatel.

Surpreendidos com um grande estoque que não conseguiriam vender, os produtores do local tiveram a ideia de derreter o excesso, à espera de uma nova temporada. Para conservarem a massa, acrescentariam alguma espécie de álcool – vinho ou aguardente – no novo cozimento. Depois de reendurecida pelo frio, a massa não correria o risco de estragar. Para degustá-la, bastaria colocar novamente no processo de fusão.

No teste inaugural os produtores utilizaram um grande caldeirão. Ali experimentaram diversas vezes a textura e o sabor da massa. Até que um cidadão espetou um pedaço de pão na ponta de uma haste qualquer e mergulhou no caldeirão. “Desse gesto nasceu um ritual que virou uma celebração comunitária,  reunindo à mesa pessoas queridas, para desfrutar de momentos de felicidade.

A iguaria só ganhou fama na década de 50, quando o chef Conrad Egli, do restaurante Chalet Suísse, em Nova York, passou a servir o prato. Os soldados da época levaram a receita para suas casas, popularizando assim essa delícia.

Com o decorrer dos anos e do aperfeiçoamento da gastronomia, a fondue vem sendo aprimorada e ganhando novos sabores e ingredientes como o de chocolate com frutas e de carne. Mas esse papo fica para outro post… Hoje vamos focar no queijo!

Então vamos à receita:

Ingredientes

  • 200g muçarela ralada
  • 200g emmental ralado
  • 200g gruyère ralado
  • 1 dente alho
  • 200ml vinho branco
  • pimenta e noz-moscada a gosto

Modo de fazer 

  1. Pegue o alho e esfregue-o, com a ajuda de um garfo, na parte interna da panela
  2. Aqueça a panela em fogo baixo
  3. Adicione os queijos, um a um, mexendo sempre, até que derretam
  4. Despeje o vinho branco aos poucos e siga mexendo até que se forme um creme
  5. Tempere com a pimenta e a noz-moscada
  6. Deixe ferver até engrossar, sem parar de mexer
  7. Agora é só servir
  8. Para acompanhar, use pães, batatas cozidas, cogumelos

Obs: Leve à mesa a panela com o réchaud ou, se preferir, pode tb servir dentro do pão italiano


Sympla

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Erika Kohler

Jornalista (com diploma), escritora metida a cronista e decoradora. Não necessariamente nessa ordem. É uma artista múltipla! Tem a arte no DNA e por isso é amante do mundo das artes. De todas as formas: Cênicas, Visuais e Plásticas.
Carioca, já foi rata de praia, mas hoje prefere o inverno. É gateira de carteirinha e apaixonada por pinguins. Os livros fazem parte da sua vida e estão sempre por perto. Talvez tenha nascido no século errado porque ama o Vintage e o retrô. Adora assistir filmes e séries, sempre acompanhada por um baldão de pipoca. Torce para encontrar com o gato da Alice, pra ele indicar a estrada dos tijolinhos amarelos, que vai direto para a Fantástica Fábrica de Chocolate!!

Previous Tom sobre Tom: Curtindo o Feriado
Next Crítica: Colossal

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close