Beleza interior?

Hoje vim falar de um filme onde foi realizado um trabalho de maquiagem cuja intenção não é exatamente embelezar, trata-se da maquiagem de efeito especiais.

Lançado há um ano, o curta “He Took His Skin Off for Me” é um trabalho que merece ser relembrado. O filme foi um trabalho de graduação de Bem Aston na London Academy School, baseado no conto homônimo de Maria Hummer, que conta a história de um homem que presenteia sua namorada com a visão no mínimo perturbadora de seu corpo literalmente em carne viva após se despir de sua pele como se fosse uma simples vestimenta. Porém, ela acha lindo.

O mais interessante do filme é que não foi usado CGI em momento algum. Todo o trabalho foi feito através dos efeitos práticos de maquiagem e jogadas de câmera, tudo coordenado de forma genial. A cena em que o homem tira a própria pele contou com a performance de Gary ‘Stretch’ Turner, que serviu como uma espécie de dublê de corpo. Gary possui a síndrome de Eherles-Danos, que deixa sua pele extremamente elástica.

Já os músculos expostos do personagem são resultado de semanas de desenvolvimento para se chegar a esse trabalho perturbador e ao mesmo tempo fascinante de maquiagem de efeitos especiais. Cada detalhe foi cuidadosamente estudado para que o público parecesse estar vendo algo saído diretamente de um livro de anatomia (ou de um filme de terror).

Ben contou com o trabalho de um nome importantíssimo dessa área da maquiagem, o lendário Jen Cardno, que você pode não saber quem é, mas talvez conheça seus trabalhos em “2001: Uma odisseia no espaço” e “A história sem fim”. Foram oito horas para transformar o ator Sebastian Armesto (Piratas do Caribe – Navegando em águas misteriosas) no homem despido de sua pele. Oito horas muito bem aproveitadas, pois o resultado é fantástico.

Você pode conferir o curta e todas as informações no Vimeo.

Para encerrar, te dou o mesmo conselho que foi dado pelo próprio realizador do filme: Apague as luzes. Use fones de ouvido. Assista com a tela cheia. Vai valer a pena.