A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 21 de março a 2 de abril, a mostra “Devi: Mulher em Cena, que faz um recorte na mais extensa cinematografia mundial – a indiana – focando a mulher como a grande protagonista. Serão exibidos 12 filmes que tratam do papel da mulher na Índia, revelando as diferentes facetas dentro de uma sociedade complexa e diversa, que caminha entre tradições milenares e estilo de vida moderno e global. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

A curadora Carina Bini priorizou obras dirigidas por mulheres e que foram realizadas nas últimas três décadas, alcançando produções de diversas regiões do país e privilegiando o cinema autoral.

Retratando uma tradição milenar de culto ao feminino, mas que atualmente vem enfrentando contradições ao expor ações de misoginia, os filmes da mostra apresenta uma provocante reflexão sobre qual a condição da mulher no século XXI. Entre os destaques da programação, estão o recente filme de “Bollywood, Pink” (2016), de Aniruddha Roy Chouwdhury; “Uma mulher e dois homens” (2008), de Adoor Gopalakrishnan, um dos mestres do cinema indiano autoral; e “Gulabi Gang” (2012), de Nishtha Jain, que retrata a luta de um grupo ativista que combate a violência contra a mulher na Índia.

“Selecionei filmes com temas que passeiam por questões pertinentes ao universo feminino e seus desafios atuais. A Índia é um país que apresenta uma estrutura social complexa, que tenta alinhar padrões tradicionais e modernos, tornando-se uma nação curiosa e que tem sido fonte de estudos e reflexões. O cinema é um forte elemento que compõe esse espectro social e cultural. Os indianos consomem seu próprio cinema, que traz suas histórias, desejos e aflições para as telas das milhares de salas do país, e as produções acabam construindo um imaginário de forte influência para a sociedade.” –  Carina Bini (Curadora).

Carina apresentará sua própria visão da sociedade indiana no filme “India, my love story” (2016), que será exibido junto com “Devoto” (2010), de Marina Gante, em um sessão de obras de cineastas brasileiras realizadas na Índia.

Outras Atividades

A mostra ainda inclui uma série de atividades ao longo dos doze dias de exibições. Na terça-feira de abertura (21), às 17h, haverá uma apresentação de dança indiana Mohiniattan, com Ludymilla Van Lameren, na sala de cinema.

Já o foyer da CAIXA Cultural Rio de Janeiro será palco de duas atividades gratuitas: no dia 25 de março (sábado), às 15h30, a dançarina Patrícia Travassos faz uma apresentação de dança indiana Kathak e, no dia 1º de abril (sábado), às 16h, o músico Jean Cristophe Aveline faz um concerto de música indiana.

A programação também conta dois debates, ambos com entrada franca. No dia 23 de março (quinta), às 19h, a curadora Carina Bini, a professora de Vedanta e Sânscrito Glória Arieira e a cineasta Marina Gante conversam sobre “A mulher na sociedade indiana do século XXI”. E, no dia 30 de março (quinta), às 19h, o tema “O olhar feminino no cinema indiano” será debatido com nova participação da curadora da mostra, ao lado da pesquisadora Marina Costin, que faz parte do Coletivo Elviras de críticas de cinema, e da cineasta Lucia Murat.

Agenda