7 de dezembro de 2019

Por que Kim Kardashian e Pokémon Go são esse sucesso indiscutível? O que eles têm em comum? Será a instantaneidade? Será a superficialidade? Por que uma multidão corre atrás dos Pokémons e, nos intervalos, corre atrás de notícias sobre a Kardashian?

É difícil dizer o que vai cair nas graças do público e o que vai passar batido pelo nosso crivo. Com as redes sociais e sua liberdade de autoria, vemos milhares de meninas querendo ser a próxima Kimberly Noel Kardashian. É a corrida atrás do sucesso instantâneo, muitas vezes sem uma estrutura concreta que o sustente. É como se corressem atrás de Pokémons. É o mundo cada vez mais veloz e efêmero que permite que celebridades instantâneas sejam jogadas em frente dos holofotes, sem uma fundação consistente, sem um real talento. É o mundo em que participar de realities já é passaporte  para a fama. Um mundo em que as pessoas saíram da frente da tv, para ficar na internet, ou correr atrás de monstros virtuais, talvez para fugir de seus monstros internos reais.

kim

É um mundo em que as tristezas são tratadas com o band-aid Rivotril, enquanto as inflamações estão mais fundas e escondidas. Ao contrário do período romântico, em que sofrer era mandatório, e este sofrimento era o adubo da criatividade e da genialidade, hoje não nos permitimos colocar uma foto em redes sociais em que não estejamos felizes, corados, fortes, rodeado de amigos , mostrando a última viagem que fizemos e ,se esta for para o exterior, melhor ainda.

Kim Kardashian é a professora deste comportamento: posta foto do seu café da manhã, indo para o carro, fazendo selfie dirigindo, treinando na academia, com o pôr do sol atrás, a lua, se for de noite, ou as estrelas, se estiver um céu brilhante. Mas se não tiver nem sol, nem lua, nem estrelas, ela posta qualquer foto, pois o que importa mesmo é mostrar a roupa que está usando, o cabelo, que hoje ela repartiu para o outro lado, ou a filha, que é uma garantia de ganhar ainda mais curtidas. Se tiver um cachorro ou um gato na foto, então! O nível de curtidas explode.

E para nós, pobres mortais, que não temos nenhuma viagem marcada para ser cenário de nossas selfies, nenhum carro do ano para dirigir, enquanto tiramos fotos dentro dele e postamos, nos resta apenas correr atrás dos Pokémons que a vida nos apresenta.

pokemon

Por Silvia Ferrari

Show Full Content
Previous Crítica: Terra Estranha
Next Power Rangers tem a força!

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Dona Diva, Scholastique Mukasonga e histórias que precisam ser contadas

1 de agosto de 2017
Close