Não é desconhecido que o efeito em preto e branco utilizado nas fotos publicadas no Instagram é usado para evidenciar um estado de espírito, seja ele mais denso ou equalizado. A fotografia sem cores é usada nos dias de hoje como uma fuga das imagens normatizadas que compõem as fotografias coloridas. O preto e branco expõe melhor que qualquer cor primária a imensidão de um olhar, a delicadeza de um gesto e, até mesmo, a tristeza por trás de um sorriso – depende do ponto de vista do fotógrafo.

Neste caso, a fotografia nasceu em tons sem cor, mais precisamente o preto sobre o branco, em meados do século XVI. Até os dias de hoje, ocorreram diversas mudanças técnicas, e os filtros de luz atuais conseguem captar uma incontável gama de cores. No entanto, as fotos em preto e branco conseguem capturar detalhes que, por conta das cores, as fotografias coloridas não alcançam.

O fotógrafo Sebastião Salgado é um dos profissionais mais conhecidos por sua preferência pelo tema, no qual o tom se encaixa perfeitamente no contexto crítico e social de seu trabalho. Segundo ele, o que ele deseja através do choque de suas imagens é a conscientização das pessoas sobre os males mais urgentes de nossa sociedade, como a fome, a desigualdade e a dor. Certa vez, questionado sobre a intenção de sua exposição, ele disse:

Espero que a pessoa que entre nas minhas exposições não seja a mesma ao sair”.

A fotografia em preto e branco não é apenas uma opção na câmera dos celulares, nos filtros do Instagram ou nos filmes de equipamentos fotográficos renomados. Ela é um estilo, um conceito, uma forma de expressar a alma dos cenários, objetos, animais e pessoas. E a única forma que a luz nos proporciona de guardar frações de momentos na memória – ou atualmente na memória RAM dos androids e computadores – , mas a escolha pelo tema é segura do impacto que os tons de cinza vão causar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Thayane Maria