Vejo algumas pessoas fazerem só um ou só o outro, o ideal para emagrecer é a combinação dos 2, exercício + alimentação saudável. Mas qual seria o melhor exercício e o que comer para emagrecer? Isso é bem individual mesmo, deve ser avaliado cada caso, mas separei algumas dicas gerais aqui.

Exercício físico: O educador físico é o profissional que indica o melhor exercício de acordo com a capacidade da pessoa (deve-se levar em conta o estado físico, idade, doença associada e etc) mas o sedentarismo não é desculpa. Existe uma série de exercícios e tipos de esporte, algum a pessoa acaba se identificando mais. Para emagrecer em geral a pessoa pensa na corrida (exercícios aeróbios de maior duração utilizam a gordura como energia) mas caso a pessoa não consiga partir logo para corrida ou não gosta mesmo tem também danças, natação, ciclismo e etc. Pode também combinar com exercícios de força (musculação por exemplo) que apesar de não queimar gordura como o anaeróbico também há um gasto de energia além de favorecer o ganho de massa magra (músculo). Deve-se ter atenção para um não interferir no desempenho do outro. Por isso e por outros motivos a orientação de um educador físico é importante. Ao invés de melhorar sua saúde pode trazer outros problemas caso haja prática de exercícios de forma errada.

Alimentação: Dicas básica para uma boa alimentação é evitar os industrializados ao máximo. Alimentação mais saudável é constituída principalmente de alimentos in natura (vegetais, legumes, frutas), leite e derivados com pouca gordura, carnes magras, evitando as frituras e o excesso de açúcar (não recomendo o uso de adoçantes para quem não é diabético, reduzir o açúcar é o ideal, já que alguns estudos ainda analisam os efeitos colaterais do uso de adoçantes). Ficar sem comer também não é recomendado para emagrecer, ficar horas sem comer e sentir muita fome vai fazer você comer o dobro do que comeria se fizesse algum lanche saudável horas antes. A escolha dos alimentos é o segredo. E não é necessário comprar alimentos muito mais caros, um jeito de reduzir os preços é a escolha de frutas, verduras e legumes da época e da região sem precisar comprar apenas alimentos importados ou de mais difícil acesso. Para quem se alimenta fora de casa também tem como fazer boas escolhas em self-services sem cair na tentação de preparações mais gordurosas. É bem importante também uma ingestão de aproximadamente 2 litros de água por dia e evitar bebidas alcoólicas, refrigerantes de sucos em caixinha.

Mente: Ansiedade, estresse, falta de sono e etc podem fazer com a pessoa se alimente de forma compulsiva, sendo que não é fome em si e sim para suprir a falta de alguma coisa, a tristeza. É colocada na alimentação um prazer, uma sensação de bem estar. Isso atrapalha muito para uma alimentação saudável. Algumas alternativas são a parada em uma horinha do dia que seja para relaxar de alguma forma e aliviar as tensões, com a prática de algum esporte, yoga, meditação, caminhada na praia, leitura dentre várias outras atividades.

Lembre-se que para tudo precisa de uma força de vontade que só pode vir de você. De como você encara as situações. Encarar a alimentação saudável como dieta e exercício como um castigo, um sacrifício, raramente dura muito tempo. Ninguém aguenta fazer algo ruim por muito tempo. É para ser de forma prazerosa, pense no que vai te trazer de bom; saúde, auto estima, bem estar e etc. Uma vida saudável vem através das suas escolhas e uma vida agitada hoje em dia não tem como evitar (ninguém tem tempo sobrando) mas tem como se organizar melhor para fugir um pouco do caos.

Por Debora Baganha

Show Full Content
Previous Tiago Abravanel interpreta Snoopy em Meu Amigo Charlie Brown no Teatro Bradesco
Next Crítica – Much Loved

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close