Muitos já sabem que a nova modinha esportiva do momento é o Pole Dance, que na verdade já existe há anos e anos, mas só começou a se tornar popular de uns tempos pra cá. O que muitos não sabem é que para dançar pole não basta colocar roupas minúsculas e rebolar em volta de um poste, é muito mais que isso!

O esporte exige muuuita força e flexibilidade, além de dedicação, comprometimento, e o mais importante, amor. Falo isso por experiência própria, que comecei este ano a fazer e conversei com muitas pessoas que, assim como eu, estão totalmente apaixonadas. E na verdade, não tem como não se apaixonar.

O Pole Dance tem a incrível habilidade de proporcionar novos desafios a cada treino, e com o tempo é capaz de te mostrar que você pode ser forte, flexível e sexy sim – com exceção dos roxos que ficam, mas que eu tento enxergar como lindas marcas de guerra (rs). Cada pessoa respeitando o seu tempo, lógico, você é capaz de realizar movimentos incríveis e se surpreender!

(Divulgação)

(Divulgação)

Sem contar que ele pode ser feito por pessoas de qualquer sexo, idade e biotipo. A evolução, definição e emagrecimento são apenas algumas das maravilhosas consequências da prática desse esporte, e isso sem falar em toda a motivação e autoestima que ele traz.

E por favor, sem essa de preconceito, tá? Vamos combinar que em vez de se importar com a forma com que os outros praticam, a gente pode apenas apreciar o Pole pelo que ele é: pura arte.

Então, a minha dica e sugestão do dia é: pesquise sobre estúdios de Pole Dance e as vertentes que eles seguem até encontrar uma que te agrade e faça uma aula experimental! Satisfação, felicidade e aquela dorzinha boa de exercício serão garantidas <3

Por Júlia Bockmann