3 criações nacionais (ou quase isso)

 
Por mais que muitos possam pensar o contrário, o Brasil não foi e não é um país só de samba, carnaval e futebol. Na terra brasilis muito já foi produzido, incluindo invenções tecnológicas que você nem sabia que eram um produto nacional. O fato é que o povo brasileiro adora inventar novas coisas e tecnologias, mas hoje vamos listar três antigas criações que você pode se assustar ao saber que é uma ideia “nossa”.
  • BINA
Um dos muitos modelos já existentes de BINA. Foto: Divulgação.
Um dos muitos modelos já existentes de BINA. Foto: Divulgação.
Bom, se hoje o seu Smartphone tem um identificador de chamas, você precisa agradecer a BINA ou para ser mais exato ao seu criador, o eletrotécnico mineiro Nélio Nicolai. Esse aparelhinho que você está vendo aí em cima, e que provavelmente nunca viu um de perto, foi o primeiro identificador de chamadas e seu nome significa “B (o receptor) Identifica o Número de A (quem está ligando)”.
 
Projetado e patenteado em 1977, mas só lançado 1982, a invenção mundialmente usada é capaz de rastrear quem está efetuando a chamada através da identificação de sinais e modulações de frequência. Na década de 80, Nélio ganhou o reconhecimento internacional por sua invenção, mas também entrou em processo contra as operadoras de telefonia nacionais por venderem sua criação sem a devida autorização.
  • Rádio
 
Uma réplica do protótipo do modelo utilizado por Landell. Foto: Divulgação.
Uma réplica do protótipo do modelo utilizado por Landell. Foto: Divulgação.
Voltando bem no tempo, no final do século XIX e início do século XX, o padre gaúcho Roberto Landell de Moura é um dos responsáveis pela criação do rádio. Em 1900, ele foi o primeiro homem a fazer a primeira transmissão de voz através de uma máquina, sem a ajuda de fios, utilizando ondas eletromagnéticas e a modulação do som.
 
A técnica que era tentada há anos, em diversos lugares do mundo, foi realizada aqui. Porém, o maravilhoso governo brasileiro da época não quis investir no projeto de Landell e somente algumas de suas patentes foram reconhecidas no Brasil e nos Estados Unidos. Por conta disso, o italiano Marcone, que foi financiado devidamente e desenvolveu a tecnologia, se tornou mundialmente conhecido como o inventor do rádio. Mas o rádio é nosso, viu?!
  • Walkman
page
A esquerda um modelo de Stereobelt e na direita um modelo de Walkman lançado pela Sony. Foto: Divulgação.
Falando em transmissão e som, aquele famoso aparelhinho lançado pela Sony na década de 70, o Walkman, foi criado em terras brasileiras e seu criador, Andreas Pavel, é meio produto nacional e meio produto alemão. Nascido na Alemanha, mas criado no Brasil, ele desenvolveu o projeto do primeiro reprodutor estéreo de áudio portátil, utilizando as fitas cassete, com o nome de Stereobelt.
 
Mas a Sony muito “espertinha” começou a produzir e lançou o Walkman, aí passou a vende-lo sem ter os direitos e/ou autorização de seu criador, que já havia registrado a patente em vários países. Foi só nos anos 2000 que Pavel, depois de muita pressão sobre a empresa, conseguiu que os royalties pela criação fossem finalmente dados à ele.
 
Que o povo brasileiro é um povo inventivo não podemos negar. Existem outras inúmeras invenções tupiniquins que a gente nem sonha e provavelmente usa, ou usa algo desenvolvido em cima da ideia original, no dia a dia. O Tecnoclock vai ficando por aqui, mas quer saber sobre mais invenções nacionais. Se souber de alguma, conta pra gente!


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Paulo Olivera

Paulo Olivera é mineiro, Gypsy Lifestyle e nômade intelectual. Apaixonado pelas artes, Bombril na vida profissional e viciado em prazeres carnais e intelectuais inadequados para menores e/ou sem ensino médio completo.

Previous Semana Geek na Riachuelo
Next A Rio Sports Show chega a sua 18ª edição

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close