Um Bailarino Fotógrafo ou um Fotógrafo Bailarino?!

Mineiro, apaixonado pela dança, Mario Veloso já integrou elencos de balés e óperas profissionais. Esteve em palco com grandes nomes, ganhou prêmios, ministrou aulas e caminhou muito pelas estradas dessa vida.

Autodidata, aprendeu a manusear câmeras fotográficas no período que morou em Brasília. Hoje, é fotógrafo profissional renomado no mundo da dança. Em seu currículo, constam nomes famosos como Ana Botafogo e Svetlana Zakharova.

Com seus muitos anos de experiência, dentro deles como fotógrafo do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, ele consegue captar movimentos com alta precisão e, para que isso aconteça, ele “calcula”, de acordo com as características físicas do bailarino, o tempo que leva para concluir ou conceber um determinado passo. Além disso, também acompanha os ensaios dos mesmos para conhecer melhor sua coreografia.

Para entendermos um pouco mais sobre o seu trabalho, o Zoom it dessa semana, entrevistará Mario Veloso, que nos contará a sua arte e nos concederá o prazer de poder apreciá-la no nosso site.

Entrevista:

ZOOM it – Mario, respondendo ao título de nossa matéria, como você se vê perante a fotografia hoje, como um bailarino fotógrafo ou como um fotógrafo bailarino?

Como a dança surgiu na minha vida primeiro que a fotografia, me sinto mais bailarino fotógrafo, mas tenho que admitir que o sonho da técnica perfeita do ballet foi conquistada e transferida para o fotógrafo bailarino!

ZOOM it – Você era bailarino profissional, como surgiu essa paixão em fotografar?

Sempre pensei no ser útil, quando comecei a dançar me preocupei primeiro onde eu poderia apresentar um diferencial para a classe. Observei que a maioria dos bailarinos são de estatura média baixa, como tenho 1.85m, vi que poderia atuar mais no pas de deux. Do mesmo modo vi que na fotografia de dança a deficiência em capturar os momentos na hora certa era muito grande. Imaginem que venho da fotografia analógica onde dispúnhamos de um filme de 36 poses ou seja: cada foto perdida era dinheiro jogado fora! Eu conseguia garantir em um filme de 36 poses com foco manual uma média de 20 fotos com momentos cênicos corretos. Daí veio a paixão verdadeira… Algo que eu fugia totalmente da média de erros e conquistava de imediato a confiança dos bailarinos que sabiam que eu pegaria os momentos mais inesperados e difíceis de fotografar.

ZOOM it – Dentro de tantos momentos reproduzidos, qual sua fotografia favorita e por quê? 

Uma foto que tirei de Thiago Soares num grand sissone na segunda, com uma Canon T90 com uma lente 85 mm, 1.8 foco manual com velocidade 90 abertura 4.0 e filme PB HP5 e foi preciso somente um click para eu ter a certeza havia capturado no momento certo.

ZOOM it – Fotografar movimento é sempre muito complicado. Qual dica você daria para as pessoas que tem interesse nesse tipo de fotografia?

Nunca confie em fotos sequenciais, confie no seu instinto e precisão. É preciso calcular com precisão onde ocorrerá a explosão. A fotografia não pode ser unicamente comercial é preciso ter o seu toque e emoção.

ZOOM it – Você já fotografou grandes nomes da dança como Farukh Ruzimatov (russo, um dos maiores bailarinos do Ballet Kirov), Thiago Soares (brasileiro, primeiro-bailarino do Royal Ballet de Londres) e Cecília Kerche (brasileira, um dos grandes nomes do Ballet do Brasil). Qual é a sensação de eternizar os grandes momentos desses ícones?

Uma satisfação enorme de poder ser útil com fotos a altura de suas performances e um orgulho imenso de ver estas fotos sendo curtidas e publicadas cada vez mais.

ZOOM it – Conte-nos um pouco mais sobre o seu percurso para chegar a ser um fotógrafo consagrado no mundo da dança. O que levou você a ser tão requisitado pelos bailarinos?

A minha primeira oportunidade de mostrar a minha arte de fotografar foi em 1994, no Seminário Internacional de Dança de Brasília sob a autorização e indicação de Gisele Santoro. O resultado foi ótimo! Com os click’s precisos consegui uma boa repercussão da classe da dança e pude investir em mais equipamentos. Em seguida vim para o Rio e Dalal Achcar me autorizou a fotografar a Mega Produção Don Quixote em 1994 com Ana Botafogo e Tetsuya Kumakawa e Cecilia Kerche com Igor Zelensky. Acredito ter sido a maior comprovação da eficiência dos meus Click’s agradando aos primeiros bailarinos, solistas, corpo de baile e a toda classe que compraram muitas fotos dos solistas. Dalal Achcar também comprou muitas fotos e me apoiou me indicando para a Maria Luiza Noronha diretora da Escola de Danças Maria Olenewa que me deu carta branca pra fotografar a escola. Logo me tornei fotógrafo da Escola de Danças e do Theatro Municipal fotografando todas as temporadas de ballet e ópera.

ZOOM it – Hoje, qual é o significado da fotografia em sua vida?

A descoberta de uma parte do que há de melhor em mim para oferecer e promover o que eu mais amo, que é a dança.

ZOOM it – Nós da Woo! Magazine agradecemos pela oportunidade de te conhecer um pouco mais! Agora, pedimos que deixe um recado para nossos leitores apaixonados por fotografia, falando sobre o mercado fotográfico no meio da dança.

Para quem deseja entrar nesta área da dança e ganhar muito dinheiro, o primeiro passo é ter paixão por ela porque somente assim você vai estar sempre querendo mais e mais, e irá estabelecer uma confiança, credibilidade e respeito.

Segundo passo: é fazer uma parceria com as escolas de danças, montar estúdios nas salas de aula e poder contar com a presença dos próprios professores auxiliando nas poses. As fotos de espetáculos são opcionais, ofereça pacotes com descontos especiais para quem entra no pacote das fotos posadas, porque se você se compromete com fotos cênicas e não conseguir momentos bons, vai ter que devolver dinheiro. Somente a prática nesta primeira fase começa a estabelecer uma confiança do seu trabalho. Na fotografia de espetáculos de dança é preciso investir pesado em equipamentos com lentes super luminosas, e se você não é da área, é preciso só obedecer e aprender com os próprios bailarinos que foto boa é aquela que não expõe o erro dele e sim que revela suas qualidades, de preferência que você até os surpreenda com momentos inesperados.

Quero deixar a dica principal para o sucesso: Seja apenas original em tudo que fizer porque a sua verdade se revela na fotografia e se a sua verdade tem luz, a ação será a consequência do sucesso.

Clique na imagem abaixo e confira em nossa galeria a exposição de algumas fotos de Mario Veloso.

Foto: Mario Veloso/ Thiago Soares