Se tem uma coisa que não fica de fora da minha rotina (e de quase todos nesse “mundão“), com certeza é a música. Uma das coisas mais prazerosas é chegar em casa, após um dia corriqueiro, ouvir as novidades do dia e correr para organizar e criar uma playlist para cada futura ocasião. Um rolê nas ruas mais boêmias do Rio de Janeiro, uma longa viagem, corrida na orla e até mesmo para a hora do banho, essa é clássica e obrigatória! As músicas internacionais são incríveis, mas cá entre nós, colocar aquelas músicas “brazucas” do momento e as mais conhecidas/clássicas, para cantar como se não houvesse amanhã, cheio de fôlego e emoção é uma das melhores sensações da vida!

Trago-lhes então, 10 artistas nacionais fofíssimos que não podem faltar em sua playlist. Têm cantores do momento e bandas que já terminaram (e deixam muitas saudades). Anota aí!

Banda do Mar

O sucesso Mais Ninguém, é aquela música para mandar uns passinhos bem descolados, chamar os parceiros para dançar e curtir muito, se encaixa em todos os momentos. Mas a minha favorita é Dia Clarear. O nível de fofura dessa canção é o máximo possível! Ideal para relaxar, sentindo a brisa do vento, curtindo o por do sol, o mar… *suspirando*. Hey Nana, Me Sinto Ótima e Pode Ser são outras que não podem faltar em sua playlist. Infelizmente eles deram uma pausa no projeto, mas assim como muitos brasileiros e portugueses, quero logo um retorno surpreendente.

Los HermanosAmados por alguns, odiados por outros… Querendo ou não, Los Hermanos marcou e continua marcando fortemente uma grande geração. Mesmo após o fim, os caras deixaram vários sucessos registrados. A banda de MPB, que mistura indie, com pitadas de rock alternativo,  formada no Rio, com som influenciado por bandas underground carioca dos anos 90, como Acabou La Tequila e Mulheres Q Dizem Sim, entre outras, nunca saiu sequer da minha vida. São tantos sucessos que estão na ponta da língua e eu canto com toda a minha alma e louvor.

Ao contrário do que muitos pensam, Los Hermanos não é banda só de tristeza, meus amigos. Muitas de suas canções me motivaram para tomar certezas decisões na vida e me tornaram mais fortes. A que mais marca a minha vida é O Vencedor: “Faço o melhor, que sou capaz, só pra viver em paz!” . A clássica Anna Júlia já foi entoada por mim, e por quase todos, para alguma amiga ou namoradinha que tivesse o mesmo nome da música. Último Romance, Conversa De Botas Batidas são bem especiais para o momento tristeza. Não faz mal ter aquela playlist de momento “bad“.

Nando Reis

O ruivo mais fofo do MUNDO que você respeita! Nando Reis é o cara da música nacional, melhor amigo da rainha Cássia Eller, as músicas são perfeitas para todos os momentos, têm filhos que seguem os seus passos no extraordinário universo da música – e são talentosíssimos assim como o pai – são mil e um motivos para Nando Reis fazer parte de todos os seus momentos. Já chorei muito com Pra Você Guardei O Amor, não somente por ser uma canção triste, mas por ter uma letra tocante, forte, magnífica.  De Janeiro a Janeiro, All Star – que na voz de Cássia fica ainda mais perfeita – e Por Onde Andei, são os principais sucessos do brilhante Nando.

Cássia Eller

Ahhh, Cássia Eller. A maior e melhor cantora do país, não há dúvidas. Rainha, voz insubstituível. Atravessa as gerações. A conheci através da minha mãe, que sempre escutava em fitas os sucessos da cantora. Me encantei e desabei em choro quando descobri que Cássia havia morrido. Não consigo aceitar até hoje! A minha forma de retribuir todo esse amor é escutando e cantando ao máximo Por Enquanto: “Se lembra quando a gente, chegou um dia acreditar, que tudo era pra sempre, sem saber… Que o pra sempre, sempre acaba…”. Peguei um lencinho por aqui. Malandragem é a clássica das clássicas de todo o karaokê. Canto até hoje com minha família e amigos. Cássia Eller faz parte de todos os meus momentos. Na alegria e na tristeza, até que a morte nos separe.

Legião Urbana

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar, na verdade não há. Legião Urbana. Impulsionou a famosa geração coca-cola. Os caras são um fenômeno até hoje! Eterno Renato Russo. Tantos sucessos que marcam até hoje. É claro que Pais e Filhos e Eduardo e Mônica são as minhas favoritas. Sair por aí, dirigindo sem rumo e escutando Legião é uma coisa que eu recomendo muito! Renova a alma. Somos tão jovens!

Maria Gadú

Como não viajar ao som de Maria Gadú escutando Shimbalaiê, Linda Rosa ou João De Barro? O talento dessa mulher maravilhosa é tanto, que foi indicada duas vezes ao Grammy Latino! Poder, né amores?! Além de todo esse sucesso, a artista já teve várias músicas temas de novelas, o que impulsionou a sua fama. Coloque o som no máximo e curta ao máximo esse talento!

Cícero

Cícero me encantou desde os primeiros minutos da canção Tempo de Pipa. Depois disso, me senti na obrigação de ir além além na carreira desse rapaz, que eu cativo até hoje. As referências desse carioca de 30 anos é uma bagagem talentosíssima: Tom Jobim, Braguinha, Geraldo Azevedo, Sérgio Sampaio e Paulinho Moska são alguns artistas que inspiram e já o inspiraram na criação de álbuns.

As composições de Cícero estão na prateleira da MPB mais moderninha, próxima ao indie rock. É um dos artistas mais queridos da galera que está adentrando ao mundo da música popular brasileira atual. Vale muito a pena ter uma canção do cara em sua listinha de músicas. Em De Passagem, a fofura da letra me fez curti-la ainda mais. O jeito de uma menina, que levava o mundo lançando doçura, com calmaria, contrapondo ao mundo do rapaz, que era amargo, um breu.

As composições de Cícero estão na prateleira da MPB mais moderninha, próxima ao indie rock. É um dos artistas mais queridos da galera que está adentrando ao mundo da música popular brasileira atual. Vale muito a pena ter uma canção do cara em sua listinha de músicas. Em De Passagem, a fofura da letra me fez curti-la ainda mais. O jeito de uma menina, que levava o mundo lançando doçura, com calmaria, contrapondo ao mundo do rapaz, que era amargo, um breu.

Anavitória

Um amor ao quadrado chamado Ana e Vitória. O vento nos trouxe essa surpresa mais que agradável no ano passado e, de lá para cá essas duas meninas talentosas, com uma voz doce e suave, conquistaram cada vez mais bons amantes de uma boa música brasileira.

Elas são as queridinhas do momento, e definitivamente não ficam de fora de nenhuma playlist minha das últimas semanas. Principalmente nas mais fofas e românticas. Trevo (Tu) é ideal para se curtir com o seu amorzinho, e se declarar nas legendas de fotos a dois. Agora Eu Quero Ir é aquele balanço para te fazer acordar para a vida, parar de sofrer. Se reconstruir. Essas duas amigas vão muito e muito mais longe na carreira. Elas merecem todo o carinho do público, e nós precisamos muito da voz e composições dessas lindas. Ana e Vitória, o mundo é de vocês!

Elas são as queridinhas do momento, e definitivamente não ficam de fora de nenhuma playlist minha das últimas semanas. Principalmente nas mais fofas e românticas. Trevo (Tu) é ideal para se curtir com o seu amorzinho, e se declarar nas legendas de fotos a dois. Agora Eu Quero Ir é aquele balanço para te fazer acordar para a vida, parar de sofrer. Se reconstruir. Essas duas amigas vão muito e muito mais longe na carreira. Elas merecem todo o carinho do público, e nós precisamos muito da voz e composições dessas lindas. Ana e Vitória, o mundo é de vocês!

BRAZA

Esse trio formado por Nicolas Christ, Danilo Cutrim e Vitor Isensee, já é de casa por aqui. Fazer o que se eles arrebentam muito?! Os cariocas mantém um som com muita positividade e boas vibrações. No homônimo álbum de estréia, BRAZA traz canções com riffs de rock, elementos de reggae, soul e hip-hop, criando uma identidade própria. Segue O Baile está na minha playlist de curtição em uma noite na Lapa. Junto o meu bonde e pronto. Ninguém segura! Em uma entrevista na coluna Portrait, da Aimée, Vitor Isensee definiu o significado de BRAZA:

“BRAZA é ritmo, instinto, vontade, pulso, dança, fogo, calor, Brasil. É morder a parede, é mergulhar de peito aberto. É quando o bloco explode naquele sábado de carnaval. É reggae, dance hall, ragga, rap, trap… É celebrar e tentar reinterpretar as heranças de Jobim, Mussum, Benjor, Caetano, Glauber, Oiticica. É antropofagia e colagem pop.”

Karol Conka

Já que é pra TOMBAR, TOMBEI! Símbolo de uma geração feminista, Karol Conka fez da palavra “tombamento” sua filosofia, que  agrega valores variados, como o falado empoderamento feminino.  Conka é considerada uma das maiores representantes do rap feminino, com uma postura firme e forte, conquistou uma multidão de fãs nos últimos anos. Chama as amigas, coloca Karol para tocar, e se joga na pista!

O mundo da música nacional é imenso e cheio de surpresas. Devemos valorizas cada vez os nossos artistas.

Por Matheus Lima

Show Full Content
Previous Novidades Netflix: iboy e Santa Clarita Diet
Next Crítica: Adam

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close