Segundo o Deadline, o filme Christopher Robin foi banido da China pois o personagem central da história, o ursinho Pooh se tornou um símbolo da  resistência no país contra o partido comunista.

Entenda o caso:

Ainda no início do ano a China baniu o uso do personagem Ursinho Pooh nas redes sociais e bloggers da China. O motivo disso foi o uso do personagem para driblar a censura no país que controla firmemente o uso da internet.

O personagem da Disney vinha sendo usado em memes para ironizar ninguém menos que o presidente Xi Jinping, pois aparentemente o porte físico e as bochechas  do personagem lembram o líder chinês.

Então, além de censurar as brincadeiras, as autoridades chinesas não querem que um personagem infantil seja associado à imagem de Xi Jinping.

Se em outros países é permitido zombar do presidente, na China a história é diferente. A figura do líder é tratada com imensa seriedade.

Sendo assim, dificilmente Christopher Robin irá estrear no mercado chinês.

A jogada provavelmente não prejudicará o filme nas bilheterias. Espera-se que Christopher Robin faça uma sólida estréia nos EUA  ganhando entre US $ 20 milhões e US $ 30 milhões.

O filme contou com a direção de  Marc Forster (de Guerra Mundial Z). Além dele o filme traz Hayley Atwell, Bronte Carmichael e Mark Gatiss e chegará aos cinemas nacionais em 16 de agosto.

Confira a sinopse:

Christopher Robin (Ewan McGregor) já não é mais aquele jovem garoto que adorava embarcar em aventuras ao lado de Ursinho Pooh e outros adoráveis animais no Bosque dos 100 Acres. Agora um homem de negócios, ele cresceu e perdeu o rumo de sua vida, mas seus amigos de infância decidem embarcar no mundo real para ajudá-lo a se lembrar que aquele amável e divertido menino ainda existe em algum lugar.


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Dan Andrade

Cursando Produção Cultural atualmente, sempre foi apaixonado por cinema e decidiu que de alguma forma trabalharia com isso. Tendo como inspiração Steven Spielberg e suas histórias que marcaram gerações, escreve, assiste, lê e aprende, para um dia produzir coisas tão grandes e que inspirem pessoas como um dia ele o inspirou.

Previous Crítica: Troca de Rainhas
Next Crítica: Ana e Vitória

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE