Connect with us

Hi, what are you looking for?

Filmes

5 produções feitas durante a Pandemia que falam sobre Isolamento Social

Como a quarentena se refletiu no audiovisual

Quando a OMS classificou como Pandemia a disseminação do Novo Coronavírus, o Covid-19, e indicou que, para combater a doença, todas as atividades não essenciais deveriam parar e as pessoas entrar em isolamento total, os planos de mais de 7 bilhões de pessoas no mundo mudaram.

Enquanto muita gente consumiu vários serviços de streaming atrás de Filmes e Séries, com o intuito de se distrair durante a quarentena, todas as novas produções programadas para estrearem ou serem feitas em 2020 tiveram que ser pausadas.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em tese, a verdade é que, como já acontece há milhares de anos, o mundo artístico arranjou um meio de se adaptar a essa nova realidade e produzir exatamente sobre esse assunto. A Quarentena ou o Isolamento Social, como vocês preferirem chamar, atrapalhou, mas também rendeu bastante para ótimos argumentos.

 Confira cinco obras que só existem por conta da Pandemia.

MALCOLM & MARIE

MALCOLM & MARIE (TOP TO BOTTOM): ZENDAYA as MARIE, JOHN DAVID WASHINGTON as MALCOLM. DOMINIC MILLER/NETFLIX © 2021

O filme em si não fala sobre a Pandemia, mas a sensação de isolamento e de distanciamento existe por toda a produção. Um jovem casal chega em casa depois de uma grande noite e é posto a prova todo seu relacionamento superficial, mas que tem feridas profundas. E durante a noite, nós vemos como, mesmo sem a quarentena obrigatória, eles já estavam mergulhados profundamente em sua própria solidão, cada um à sua maneira.

O longa é uma produção da Netflix, produzido, roteirizado e filmado durante a Pandemia conta com Zendaya e John David Washington nos papéis principais.

Advertisement. Scroll to continue reading.

CONFINAMENTO

Aqui já não há meio termo: Anne Hathaway e Chiwetel Ejiofor dão vida a um casal, praticamente ex-casal, que se vê obrigado a passar o lockdown juntos quando estão em via de se separar. O que poderia ser um drama tão pesado quanto o filme anterior, tenta usar mais o viés cômico pra dar certo alívio na produção.

O filme funciona muito pelo carisma do seu elenco principal, uma vez que Hathaway e Ejiofor são dois atores com longa experiência, que conseguem segurar bem a produção.

CUIDADO COM QUEM CHAMA

É claro que um dos gêneros que primeiro se beneficiaria do lockdown seria o Terror e esse filme veio pra comprovar. Usando as chamadas através de videoconferência, Host (nome original em inglês), traz um elenco desconhecido, mas que segura bem a proposta do filme e nos mantém atentos aos sustos que prega. As personagens decidem fazer uma sessão espírita com uma médium online, porém, as coisas, definitivamente, não saem como o esperado.

Sua premissa não é inédita, lembrando o fraquinho Amizade Desfeita, com uma cartilha bem parecida, mas “Cuidado Com Quem Chama” é muito mais envolvente.

ME SINTO BEM COM VOCÊ

A produção tupiniquim segue cinco histórias de confinamento, mostrando amores e desamores, frustrações e alegrias, e, especialmente, as neuroses que acometeram todos nesse período. Visto de uma maneira menos dramática, o filme trata sobre como as relações foram afetadas pelo isolamento obrigatório.

Sem muitas exigências, “Me Sinto Bem Com Você” traz um longa com assunto interessante, capaz de nos distrair e fazer pensar sobre nossas vidas na Pandemia, mas sem grandes sofrimentos. Conta com a presença de Manu Gavassi, Tathi Lopes, Victor Lamoglia e etc.

Advertisement. Scroll to continue reading.

GILDA & LÚCIA

Imagem: reprodução “Gilda & Lúcia”

Quando as atrizes Fernanda Montenegro e Fernanda Torres se viram às voltas com a Pandemia e seu isolamento, começaram a montar um projeto familiar. Com atrizes de peso, a produção virou um episódio de um especial sobre Pandemia da TV Globo. Devido ao sucesso, ganhou uma continuação chamada Gilda, Lúcia e o Bode. Gilda e Lúcia são mãe e filha, obrigadas a ficarem juntas durante a quarentena. O cenário, que foi o que muitos enfrentaram, mas mostrando as lacunas existentes dentro da relação de mãe e filha que não eram obrigadas a ficar juntas e se viam poucas vezes. Sem dúvidas, esse foi um grande projeto que envolveu dois grande nomes da TV brasileira..

Marya Cecília é goiana de nascimento, mora em São Paulo há seis anos e ainda assim não consegue lidar com o clima 4 estações em um dia que rola nessa cidade. Tem umas manias esquisitas, tipo ver um filme que gosta várias vezes, mas esta tentando lidar com isso (ou não). Falando nisso, ela não faz questão nenhuma de ser normal, então podemos apenas seguir em frente!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Geek

Vem chegando a CCXP Worlds 21, mais uma edição virtual da CCXP. E os fãs de séries sempre criam altas expectativas em cima das...

Séries/TV

É o Amor: Família Camargo chega em 9 de dezembro A partir de 9 de dezembro, na Netflix, “É o Amor: Família Camargo” vai mexer...

Séries/TV

Netflix apresenta um olhar por trás das câmeras e pôster oficial dos cinco episódios finais de “La Casa de Papel” Para Álvaro Morte, a...

Games

Com estreia em 6 de novembro, “Arcane” é a série sobre o universo de “League of Legends” em parceria com a Netflix. Sendo originalmente...

Advertisement