Connect with us

Hi, what are you looking for?

Literatura

Memória de Minhas Putas Tristes, de Gabriel García Márquez

Quando entrei na faculdade em 2007 deparei-me com um professor grandão, careca e de sorriso largo. Eu, pequena que só, fui recebida com uma mão enorme e simpática de “Prazer, eu sou o André”. André não sabe, mas ele refinou meu gosto pela Literatura. E foi ele também quem me fez ver que Gabriel García Márquez ia muito além de “Cien años de Soledad” (Cem anos de solidão).

Memória de Minhas Putas tristes chamou-me atenção pelo título. Sim, julguei o livro pela capa (e ainda bem que julguei!). A situação, lembro-me até hoje: uma lista em nossas mãos com muitas obras que nunca tínhamos ouvido falar. Era uma avaliação em grupo e nós, “a galera do Rio” (estudei em Niterói), fechamos os olhos e bem… lá íamos ler o que posteriormente entrou no meu top five.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Se eu precisasse definir o enredo com uma única palavra, essa seria “amor”. Palavra talvez até brega, ultrapassada e que vem perdendo seu significado ao longo dos anos.  Mas é amor e não tem outra definição.

O livro é narrado em primeira-pessoa. E essa “pessoa” (pois não sabemos seu nome) acabara de completar noventa anos. Como um presente (e uma aventura), decide dar-se uma noite de amor com uma adolescente virgem. E para isso conta com a ajuda de Rosa Cabarcas, dona de um bordel clandestino.

Nosso personagem é um jornalista que mantém uma coluna semanal em um jornal colombiano. Nunca deitou com uma mulher sem pagar, mas foi pela bela (e adormecida) Delgadina que ele soube o que é de verdade estar amando.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Delgadina é uma figura interessante. Jovem, bonita e inocente, trabalha de dia em uma fábrica pregando botões em camisas. Considera ser um trabalho tão exaustivo, que quando chega para seu turno no bordel de Rosa, acaba adormecendo. E foi com essa figura completamente entorpecida, que nosso cavaleiro sem nome nos faz relembrar o que é realmente o amor. Ela não tem falas ou reações. Delgadina dorme! E nós leitores é quem sonhamos os doces sonhos e deletérios junto com nosso personagem principal.

Obra ambientada na Colômbia, Gabriel García Márquez retrata a si mesmo. E como um grito ensurdecedor, vem dizer com esta composição que não, não está morto (o livro foi escrito em 2005.).

É um livro repleto de frases de efeito e que eleva a velhice como a fase mais importante da vida de uma pessoa.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Apesar da mesma de temática de Lolita (um clássico russo de Vladimir Nabokov), Memória de Minhas Putas Tristes poetiza com o olhar inocente do moço de 90 anos que foi pego de surpresa pelo amor. E a moça, o alvo da paixão não o corresponde (mas não o rechaça). Delgadina “é”!

“Descobri, enfim, que o amor não é um estado da alma e sim um signo do zodíaco. ”. (p.74)

Para você, que assim como eu, acredita que o amor salva, essa é a dica do dia. Foi um livro que me transformou como pessoa e como leitora. É um livro que me faz suspirar só de ouvir o nome.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Érica nasceu no subúrbio do Rio de Janeiro, mas deveria ter nascido nesses lugares onde se conversa com plantas, energiza-se cristais e incenso não é só pra dar cheirinho na casa. Letrista na alma, e essa bem... é grande demais por corpinho de 1,55 que a abriga. Pisciana com ascendente E lua em câncer. Chora quando está feliz, triste, com raiva e até mesmo com dúvida. Ah! É uma nefelibata sem cura.

3 Comments

3 Comments

  1. felipe

    29 de março de 2017 at 01:04

    oi gente
    gostei muito desse site, parabéns pelo trabalho. 😉

  2. diego

    1 de agosto de 2017 at 02:10

    Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

    • Kinha Fonteneles

      4 de agosto de 2017 at 18:12

      Seja bem-vindo Diego. Obrigada pelo comentário e nos vemos em outras postagens por aí. =)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Crítica

Quem nunca sonhou em encontrar o amor da vida num ônibus, no metrô? Andar em algum tipo de transporte coletivo desses e sonhar com...

Literatura

O amor é clichê. A gente vê essa afirmação nas entrelinhas de letras de músicas, filmes, livros e quiçá na vida real. O amor...

Geek

O dia dos namorados já está chegando e com ele aquela época que os casais ficam melosos e os solteiros meio rabugentos. E o...

Literatura

A obra “Quarto” é muito envolvente e emocionante, conta a história de Jack, um menininho de cinco anos que conhece apenas o seu quarto....

Advertisement