NoEscurinho2

Um reencontro com Alice

Uma das obras literarias mais célebres de todos os tempos, principalmente se direcionarmos para o gênero nonsense a qual pertence, “As aventuras de Alice no país das Maravilhas” de Lewis Carroll já foi adaptada para o cinema e televisão diversas vezes. Depois do sucesso da adaptação animada da Disney, muitas outras produções tentaram trabalhar em cima da história de Carroll mas o retorno dos fãs não foi tão agradável.

20160106-alice-through-the-looking-glass-image-615x372

A maneira que Charles Lutwidge Dodgson ou, simplesmente, Lewis Carroll (pseudônimo que assina o livro) desenvolve o contexto no qual Alice se aventura é de uma sutileza ímpar. A sensação é que as emoções estão transbordando durante a leitura, a imaginação ultrapassa o limite enquanto tentamos recriar esse fantástico mundo desenvolvido pela mente excêntrica de Carroll. Talvez por isso, depois de muitas tentativas, somente Tim Burton (outro artista excêntrico) conseguiu se aproximar um pouco mais da interpretação, ideologia e simbolismos impostos pelo autor ao contextualizar a aventura nos cinemas.

A história ganhou um tom mais doce, mas consegue ser bastante interessante devido aos atores escolhidos para as personagens e alguns caminhos tomados pelo diretor. A visão de Burton em “Alice no país das maravilhas” é desenvolvida com cautela, mantendo alguns enigmas importantes que cativaram bastante o público desde seu lançamento em 2010. Entretanto, a continuação não possui sua assinatura na direção. Agora, sob a tutela de James Bobin (responsável por Muppets 2), o desejo é que o produto mantenha não só a qualidade técnica, mas também a criativa.

“Alice através do espelho” estreia dia 26 de maio nos cinemas brasileiros. O elenco principal é o mesmo que o original de 2010 (Mia Wasikowska, Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway), somando os reforços do ótimo Sacha Baron Cohen como Time e Rhys Ifans na pele de Zanik Hightopp.

Alice Kingsleigh (Wasikowska) passou os últimos anos seguindo os passos de seu pai e navegando os oceanos. No seu retorno a Londres, ela se depara com um espelho mágico e retorna ao fantástico mundo de Wonderland e seus amigos o Coelho Branco (Sheen), a lagarta Absolem (Rickman), O Gato (Fry) e o Chapeleiro Maluco (Depp), que não é ele mesmo. O Chapeleiro perdeu sua “maluquice”, então Mirana – a Rainha Banca (Hathaway) – envia Alice em uma jornada em busca da Cronosfera, um globo metálico que fica dentro da câmara do Grande Relógio que controla todo o tempo. Retornando ao passado, ela reencontra amigos – e inimigos – em momentos diferentes de suas vidas, e embarca em uma perigosa corrida para salvar o Chapeleiro antes que o tempo se acabe.

Daniel Gravelli é um brazuca que parle français e roda uns filmes por aí. Apaixonado pelo universo da escrita, tem um caso com o teatro e morre de amores pelo cinema. Fotógrafo e crítico nas horas vagas, gosta de cozinhar, apreciar um bom vinho e trocar ideias interessantes.