7 de dezembro de 2019

Quando a gente resolve fuxicar o acervo do Netflix, por vezes (a maioria delas), o resultado pode ser muito bom. E não foi diferente quando encontrei “To write love on her arms” (Para Escrever amor em seus braços – aqui no Brasil), que é baseado na história de uma mulher que quando jovem foi diagnosticada com bipolaridade e, quando adolescente, logo após um evento traumático, fez escolhas erradas acerca de alguns assuntos e terminou enfrentando problemas sérios como envolvimento com drogas, auto mutilação, dependência alcoólica e química.

Quando o nosso mundo cai em pedaços, e ainda mais em uma idade tão tenra, difícil não se precipitar e passar por experiências, talvez até, piores do que o próprio acontecimento que gerou todo o resto. Às vezes a nossa forma de fugir pode ser a forma de nos enterrarmos vivos. Mesmo que involuntariamente. O nome dessa mulher é Renee Yohe e ela é a protagonista desse drama biográfico.É um filme que te faz, ao mesmo tempo, pensar sobre tudo o que fez e o que aconteceria se tivesse feito diferente. E mais ainda em como o amor entre as pessoas e a amizade, são capazes de salvar os dias e o mundo de uma forma geral. Os amigos dela, até então amigos de infância, após um longo período afastados, se atentam para o que ela passa e decidem ajudá-la, nesse meio tempo ela encontra e faz amizade com outras pessoas, entre elas Jamie (Chad Michael Murray). A partir daí tudo muda para sempre na vida de todos.

A narrativa da vida de Renee foi contada para que a história de uma organização que foi criada, inspirada nela, também fosse divulgada pelo mundo a fora. O nome da associação é To write love on her arms ou pela sigla TWLOHA, como é mais conhecida, e leva o mesmo nome do filme. A entidade cuida de pessoas com vícios, e problemas como depressão e as consequências mais graves de todos esses casos. É um filme que consegue contar uma história bem difícil, que se repete bem mais frequentemente do que podemos supor, mas de uma forma leve e esperançosa.

Em tempo, vale lembrar que cada dia é mais comum (infelizmente) os casos de suicídio e depressão. E é sempre bom e imprescindível que prestemos atenção aos menores sinais, nossos e de quem vive ao nosso redor.

Vale muito a pena assistir! “Para Escrever amor em seus braços” está disponível no Netflix.

Por Aline Vallim 

Show Full Content
Previous Liniker & os Caramelows: A voz que rugiu na varanda do Vivo Rio
Next Crítica: A delicadeza do amor

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Itinerância da exposição Nós chega na Caixa Cultural de Brasília

11 de dezembro de 2016
Close