Uma linda e comovente história de amor entre dois jovens que, apesar de toda a insegurança e incertezas da idade, têm algo em comum, o amor que sentem um pelo outro. Há também muitas dúvidas em relação a esse sentimento ao longo da narrativa. É o tipo de enredo que vem carregado de “porquês”. Leia e se apaixone, e claro, reflita sobre o que você faria se estivesse no lugar deles.

John é um jovem rebelde que não tem muito o que fazer da vida, então decide servir a sua pátria, alista-se e entra para o exército. Numa de suas férias, quando vai visitar seu pai, acaba conhecendo Savannah numa praia e “de cara” já faz uma gentileza para a mocinha (pega a bolsa dela que havia caído no mar), que certamente se encanta por ele, pois além de cavalheiro, ele é muito bonito, uma beleza fascinante. O que aconteceu com ambos foi amor à primeira vista, daqueles que não têm muito o que entender, apenas sentir.

Mas como todo bom romance, essa história não seria assim tão fácil, do tipo “viveram felizes para sempre”, não, pelo contrário.

Os dois começaram a sair e se apaixonaram muito. John contou toda sua vida para Savannah. Ela, até então entendeu e se mostrou forte e determinada a viver esse amor, mesmo que a distância. Savannah disse que o esperaria.

Ele precisou voltar para o exército, viajou e ficaram longe, mas trocavam cartas, sim, cartas! E essas correspondências ajudavam-nos a diminuir um pouquinho a ausência um do outro. E com elas, também planejavam o reencontro, o que era muito animador para eles.

Mais uma vez ele voltou de férias, e decidido que seria de vez, pois estava concluindo suas obrigações militares, porém algo mudou…

Infelizmente o que estava tão perto de ter um final feliz passou por uma grande e triste reviravolta. Os atentados do dia 11 de setembro fizeram com que John precisasse escolher entre seu amor por Savannah e sua lealdade ao seu país.

A escolha não foi fácil, mas é difícil entender e aceitar quando você está do outro lado, e foi exatamente assim para a doce e sonhadora Savannah.

Savannah tinha uma forte amizade por Tim. Ele sempre cuidou sozinho do irmão mais novo, o Alan, que tem a síndrome de Asperger. A presença dela acalmava o garoto e dava uma segurança para Tim. O que existia entre os dois sempre foi uma linda amizade, cheia de confidências e companheirismo, mas isso mudou e com essa mudança, John recebeu a mais dura e difícil notícia. Tudo começou com “Querido John”, assim começavam as cartas que ela sempre enviava para ele, mas dessa vez foi diferente e isso mudaria o destino deles para sempre.

O livro não traz apenas o romance de John e Savannah, traz outras belas lições, tais quais a relação de pai e filho que era conflituosa, mas o tempo foi passando e o pai de John adoeceu, ele tinha autismo e foi piorando cada vez mais. E nosso belo jovem cuidou muito bem do pai, tentando se manter mais próximo, é bastante prestativo e carinhoso. Conseguimos perceber aqui um amadurecimento do protagonista. E a abordagem da doença é bastante importante, pois mostra toda a dificuldade de conviver com alguém assim, mas ao mesmo tempo, essa relação é possível, basta ter vontade, carinho, respeito. É uma questão de aprendizagem mesmo. Há também a questão da guerra, a narrativa conta o dia a dia dos soldados, como se preparam para as batalhas, fala sobre os medos, a angústia de não voltar vivo para a família, a distância entre eles e as pessoas amadas, como viver com essa imensa saudade.

Apesar de o destino ter separado John e Savannah, algo acontecerá, algo bem triste, mas que pode mais uma vez mudar a vida do jovem casal, que ainda pode ter um chance de viver o amor que adormeceu por um tempo, principalmente para ela, devido à distância e por acreditar não ser tão importante para John, mas que com o reencontro despertará para, quem sabe, ficar vivo de vez.

Leia, e emocione. Uma leitura válida para qualquer idade!


Por Bruh Mendes


Apoia-se

Show Full Content
Previous As séries que foram sucesso de crítica e de audiência de 2017
Next Nostalgia gamer: As intros de Games dos anos 90

1 thought on “Resenha: Querido John, de Nicholas Sparks

  1. Nada como uma boa resenha para termos uma ideia de um livro que estamos interessados em ler, e Bruh Mendes consegue nos proporcionar isso de uma maneira muito clara, com comentários precisos e que nos estimulam ainda mais a começarmos imediatamente nossa leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE