A mulher transexual e a militante

Hoje, 07 de maio, às 20h30, o canal pago Globo News irá exibir o documentário “Meu Nome é Jacque”, que conta um pouco sobre a vida da ativista Jacqueline Rocha Cortês, uma mulher transexual e militante para pessoas soropositivas. Há 21 anos, portadora do vírus do HIV, sua trajetória é marcada por inúmeros desafios e conquistas, como o seu papel de representante do governo brasileiro na Organização das Nações Unidas.

Meu Nome e Jacque

Foto: Divulgação

Hoje, casada e mãe de dois filhos, Jacque mora numa pequena cidade, levando uma vida voltada para a maternidade e a família. Ao acompanhar o cotidiano e revisitar sua trajetória, o documentário expõe depoimentos de Jacque, amigos, familiares, colegas e médicos, apresentando os inúmeros desafios que foram rompidos pela personagem, levantando uma reflexão sobre o preconceito, a homofobia e a identidade de gênero.

O filme é uma coprodução da Documenta Filmes, Globo Filmes e Globonews, com patrocínio da UNAIDS, do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, da ONU Mulheres e da ANCINE, com direção de Angela Zoé.