01 de janeiro de 2018. A entrada de um novo ano faz com que muitos fiquem pensando nas suas promessas, mas também relembrem o que e quais pessoas marcaram e fizeram esse período um tanto quanto especial. Por se tratar de uma coluna sobre séries e programas de tv, obviamente, não poderíamos deixar de homenagear os personagens que foram essenciais para fechar esses doze meses.

Sendo novatos nesse mundo mágico do entretenimento ou não, muitos conseguiram nos ensinar, nos fazer refletir e, principalmente, nos divertir. É essencial que, paralelamente a obra, possamos caminhar juntos e crescer com nossos queridinhos. Não idolatramos os que são lineares e, sim, aqueles que demonstram estar se preparando para a vida e que possam deixar algum conselho – mesmo que nas entrelinhas.

Dessa forma, apesar de muitos ficarem de fora dessa lista – afinal, são vários que crescem e nos deixam morrendo de orgulho –, escolhemos cinco de séries distintas para que possamos admirar suas lutas internas e contra o mundo.

Randall Pearson (This is Us)

Aos poucos, a série “This is Us” passou a ser conhecida e, obviamente, bastante ovacionada. Por tratar de relacionamentos, sejam eles amorosos, fraternais, maternais ou paternais, todos vivem problemas e desafios, mas, juntos, conseguem vencê-los e tirar alguma lição disso tudo. Na obra, o personagem que mais se destaca é Randall Pearson, o terceiro filho do casal, que foi incluído na família logo após o nascimento de seus irmãos gêmeos. Sendo assim, apesar de ter sido adotado, ser negro em uma família de brancos, Randall, brilhantemente, soube lidar com todos os obstáculos – inclusive, seu irmão Kevin, que sempre fez questão de o menosprezar.

Obviamente, para que um personagem possa de desenvolver, o “nerd” dos irmãos passou por muitas dificuldades, mas, dentre todos da nova geração Pearson, mostrou saber perdoar, ter sensibilidade em relação ao próximo e, principalmente, sempre deu o máximo de amor que cabia em seu coração. É uma história linda de ser contada e ser vista, por podermos nos inspirar e pedir para ter um Randall em nossas vidas. Se quiser saber um pouco mais sobre a série, clique aqui.

Jughead Jones (Riverdale)

Com a volta da segunda temporada em outubro, Jughead precisou crescer e não poderia mais agir como um adolescente qualquer. Mesmo que, em grande parte da sua vida, tenha precisado somente de si mesmo para lidar com seus problemas, dessa vez, é “briga de cachorro grande”. Por conta da prisão de seu pai, Jug se juntou às Serpentes e isso causou um grande rebuliço em seu relacionamento com Betty. Ou seja, para virar adulto e tomar as rédeas da própria vida, aos 16 anos, precisou priorizar as decisões de vida ou morte em relação ao namoro.

Apesar de muitas decisões erradas e inconsequentes, Jughead Jones – diferentemente do outro personagem masculino de sua idade – consegue resolver, ou, pelo menos, tenta de forma madura e faz pensando no bem de todos. Tendo ainda muito o que fazer para voltar a ser o Jug fofo e atencioso que todos se apaixonaram, o personagem cresceu e soube se manter. Se quiser saber mais sobre a volta da série, clique aqui.

Miriam ‘Midge’ Maisel (The Marvelous Mrs. Maisel)

O mais novo projeto do casal Palladino, depois do revival de “Gilmore Girls”, em 2016, foi “The Marvelous Mrs.Maisel” para a Prime Video. Nessa série, apesar de poucos terem visto pela plataforma ainda ser restrita, conhecemos Miriam Maisel, uma mulher de 26 anos que vive no final dos anos 1950. Inicialmente, ela fazia tudo pelo marido Joel e não deixava sua luz própria sobressair.

A sua rotina era, basicamente, cozinhar, cuidar dos dois filhos pequenos e sair à noite para as aventuras artísticas do esposo. Depois que Joel resolveu ir embora, ela mudou. Não só teve que se adequar a uma vida de mãe solteira, mas também se descobriu em vários aspectos e se reinventou. Foi preciso muita garra e várias garrafas de vinho para isso, mas ela cresceu e conseguiu ficar feliz com seus próprios frutos. Se quiser saber sobre a série, clique aqui. Ou então, confira a crítica.

Sana Bakkoush (Skam)

Não, não é aquela série norueguesa que é cópia de “Skins”. É uma obra original, que trata unicamente sobre o tema que grande parte dos fãs desse mundo curtem: o temido Ensino Médio e todos os seus dramas. Cada personagem é único e desenvolve uma narrativa bastante específica, mas a queridinha do público – ou, pelo menos, deveria ser – se chama Sana Bakkoush. Ela se destaca não só por ser muçulmana no grupo de amigas que não seguem a religião, mas também por ser de uma religião bastante restrita, ela nos ensina muito sobre a vida e como deveríamos deixar nossos preconceitos de lado.

Mesmo seguindo grande parte do que sua fé pede, ela frequenta normalmente as festas do colegial e tem os mesmos problemas de uma garota de 16 anos. A série acabou esse ano e, com toda certeza, Sana deixou muitas reflexões para que possamos lidar com o próximo. Se quiser saber mais sobre a série, clique aqui.

Will Byers (Stranger Things)

Uma das séries mais esperadas para o ano de 2017 era a segunda temporada de “Stranger Things”. Felizmente, dessa vez, o personagem de Noah Schnapp teve mais participação e conseguimos conhecer um pouco mais o filho de Joyce. Com seu jeitinho tímido, o menino de 13 anos vivenciou muita coisa em um curto período, mas venceu todos os monstros que o assombraram. Além da atuação impecável do americano nessa temporada, o personagem, de fato, chamou a atenção de todos e mereceu um lugar nessa lista por, dentro do possível, voltar ao normal e ser um pré-adolescente. Se quiser saber mais sobre a segunda temporada, leia nossos reviews aqui.

Concorda com a lista? Quem mais colocaria nela? Comenta aqui.