A série alemã, “Dark” estreou na Netflix em 2017

Dark faz parte de um seleto grupo de séries, que apesar de pouco faladas, são sucesso de crítica ao redor do mundo. Com uma história complexa, a produção não entrega tudo mastigado e nos instiga a montar um quebra cabeça, no qual cada personagem é um peça importante.

A série aborda a viagem no tempo como tema, acompanhando quatro famílias de uma cidade no interior da Alemanha. O clima da cidade muda quando 2 crianças desaparecem e mistérios obscuros se revelam em uma trama repleta de reviravoltas.

Aguardando ansiosamente a próxima temporada, decidimos listar cinco motivos para você parar tudo, acessar a Netflix e dar logo o play nessa que é uma das melhores séries do serviço de streaming. Confira abaixo:

01 – Os Personagens

Um dos grandes destaques da série é o caminho que é encontrado para o desenvolvimento dos personagens. Apesar de serem muitos, todos tem a sua importância para a trama, que em si, é repleta de conexões que flutuam entre passado e presente. Em muitos momentos pode ser confuso, mas conforme a trama se desenrola você entende onde cada um se encaixa na história.

02 – Direção e Fotografia

Apesar de não possuir um nome de peso na fotografia, a própria é um dos melhores aspectos dos episódios. As variações no uso de planos abertos – como nas cenas do protagonista andando de bicicleta na estrada e mostrando todo o cenário ao redor – e nos planos fechados bem colocados (nas cenas tensas de discussões e diálogos entre os personagens) contribuem em destacar o clima em momentos distintos da série.

A  fotografia complementa o trabalho, sempre nítida porém fria, trazendo ambientes envoltos a névoa e a chuva,  ela absorve o clima sombrio e pacato da cidade do interior.

03 – Viagem no Tempo

“Dark” apresenta uma das melhores histórias sobre viagem no tempo. Trabalhando fatos científicos, ela aborda temas como: buracos de minhoca e relação de ação e consequência. A série também traz uma questão que sempre ronda as histórias de viagens no tempo: O nosso futuro já está decidido ou nós ainda temos poder de mudá-lo?

04 – Referências e teorias

Ao longo da série são colocadas várias referências a outras obras com essa mesma temática. Em muitos momentos vem a nossa memória as produções “Fringe”, “Donnie Darko” e “De Volta Para o Futuro”. Todos esses elementos são inseridos de forma única. Ao final da primeira temporada, a série abre espaço para teorizar o que está por vir na segunda temporada.

05 – Roteiro e História

A história complexa de “Dark” apresenta-se, a primeiro momento, de forma confusa. Mas, o que pode soar como falha, na verdade é proposital. Com muitos personagens que interferem entre si, mesmo sem interagirem, é criado pelo roteiro um quebra cabeça na primeira metade da série – que gira em torno do desaparecimento de uma criança e pistas soltas – dando a segunda metade da história, os ingrediente para conexões entre os pontos, até a chegada de um clímax inesperado.


E aí, o que achou? O que será que nos aguarda na segunda temporada de “Dark”, que deve chegar no segundo semestre? Diga aqui nos comentários o que espera da continuação da história e outros pontos que fazem dessa uma série imperdível.


Por Eduardo Chaves


Fotos e Vídeos: Divulgação/Netflix