10 de dezembro de 2019

Transformando cinema em literatura

É engraçado, mas, às vezes, a ordem natural das coisas é invertida. E acaba dando certo. Normalmente, quando se lança um livro e ele faz sucesso, depois de algum tempo é provável que o mesmo vá parar nos cinemas. Incrivelmente, sempre há muitas comparações sobre qual das obras é melhor: a do cinema ou a do livro.

Foi a partir desse dúvida e após assistir cenas ainda em processo de edição, que Rodrigo Simonsen, editor e proprietário da editora Simonsen, resolveu criar um desafio ao cineasta Marcos DeBrito (autor de À Sombra da Lua, publicado pela editora Rocco). O desafio seria de inverter esta ordem: a partir do filme, DeBrito teria que passar a narrativa cinematográfica para páginas de um livro. O fato do diretor ser também um romancista ajudou muito nessa tarefa.

Retornando ao universo do roteiro, DeBrito teve que administrar a tensão entre as narrativas muito longas do filme, que foi premiado em diversos festivais, com o espaço para a imaginação do leitor. E foi assim, em meio a essa adorável “maluquice”, que o livro “Condado Macabro” foi lançado em noite de autógrafos na cidade de São Paulo, no dia 4 de fevereiro, com a presença do autor e também do elenco, que incluiu nomes como Francisco Gaspar e Leonardo Miggiorin.

A partir dos clichês tradicionais do terror, como adolescentes em apuros, assassinos mascarados, palhaços e frustrações sexuais, foram criados três eixos narrativos que se cruzam nesta história, percorrendo uma inesperada trilha repleta de homenagens, subversões e reviravoltas – tudo com profunda inspiração brasileira, no estilo e no conteúdo.

Quem quiser conferir essa audácia literária, pode adquirir o livro a um valor bem acessível. Vale lembrar que quando falamos em educação, devemos considerar os livros como um investimento, e não um gasto.

Informações

Título: Condado Macabro
Autor: Marcos DeBrito
Número de páginas: 158
Preço: R$34,90
ISBN: 978-85-69041-10-8

Por: Rodrigo Zingano

Show Full Content
Previous Galeria: Favela Tem Memória
Next No Ato: A Volta da peça “O Tombo”

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Crítica – Janis: Little Girl Blue

24 de junho de 2016
Close