Outro dia tava tentando decidir o que assistir na Netflix, qual série atrasada colocar em dia ou qual filme que ainda não vi e poderia tentar. Dei de cara com uma tal de Doctor Foster. Outra série médica, pensei. Nada disso. Doctor Foster é sobre a médica Gemma Foster, mas tá longe de ser um drama de hospital.

Doctor Foster é sobre traição e ética. São apenas cinco episódios de uma única temporada (que teve a segunda confirmada para 2017). Mas a série parece ser um conto dividido em cinco capítulos bem escritos. E, por que não, um conto de terror pela perspectiva da protagonista?

doc-3

A série É a Doutora Foster. Os personagens secundários não têm vida própria para além dela e isso não é um problema em momento algum no enredo. Nós estamos dentro do psicológico de uma mulher que amava o seu trabalho, amava o seu marido, amava a sua rotina e viu tudo desmoronar ao achar um fio de cabelo loiro em uma echarpe. Todo herói começa na paz do seu mundo inconfundível. Até que alguma coisa o tira do próprio eixo e o faz uma proposta: e aí, você vem? O longo fio loiro que não deveria estar lá desencadeia nessa personagem a iminência de encontrar a verdade; será que é tudo tão perfeito assim?

O maior mérito da série da Doutora™ é conseguir tornar um tema como traição um thriller psicológico com poucos elementos ameaçadores aparentes, mas com uma força motora inquestionável. Você fica colado na tela esperando alguma coisa muito desastrosa acontecer, até se lembrar que êpa, não tem nenhum ser armado perseguindo a heroína aqui. A maior ameaça da série é a tal verdade. E o que a raiva diante dos fatos crus desvelados pode fazer com alguém.

Para assistir de uma vez só ou aos poucos, Doctor Foster (BBC) merece ser vista. E o melhor: tá completinha na Netflix. Vai lá e depois me conta o que achou.

Hasta la vista, Docs!


Por Érika Nunes