12 de dezembro de 2019

A atriz e cantora Amanda Döring, lança sua primeira música autoral, com direito a clipe, chamado “Espelho”. Natural do Rio de Janeiro, é conhecida pelo público por trabalhar em musicais de sucesso como “Chacrinha, O Musical”, “60! Doc. Musical” e “70? Doc. Musical”, além da websérie LGBTQIA+Esconderijo”, que foi indicada a seis categorias no Rio Web Fest. Porém, Amanda tem uma paixão especial pela música, por isso resolveu usar o seu lugar de fala para compartilhar seu som e suas ideias.

Eu agosto do ano passado, mês da visibilidade lésbica, eu convidei a Gabi Porto, uma grande amiga, para fazer um vídeo comigo em homenagem a esse mês. Fizemos uma versão de ‘Flutua’, uma outra canção, e a repercussão foi muito linda! O compositor Johnny Hooker postou em suas redes prestando como sua homenagem à luta e visibilidade lésbica. Por conta da repercussão, decidimos continuar com o projeto. Em março, lançamos ‘Que estrago’, da Letrux, vídeo que foi proibido de ser patrocinado por conta do conteúdo, mais uma barreira de preconceito” ressalta a cantora.

Mas a luta não terminou e em abril Amanda compôs “Espelho” e percebeu que não faria sentido gravar fora do projeto que já tinha começado com Gabi (Porto). Sendo assim, decidiram lançar em junho, para o mês do orgulho LGBTQIA+.

O vídeo foi lançado no último dia 28 de junho e já conta com mais de 5 mil visualizações, sem nenhum patrocínio, somente no “boca a boca”. São mais de 90 comentários e mais de 700 reações de “gostei” e nenhuma de “não gostei”.

Há um tempo me veio à mente a frase ‘esse espelho que é o teu corpo no meu’ e essa ideia ficou na minha cabeça, que os corpos são espelhos em uma relação homossexual. Quando terminei a música, ‘Espelho’ tomou um sentido muito maior. A letra e o conceito do vídeo me vieram num lugar de reconhecimento no outro, de que todos somos equivalentes e podemos nos unir nas diferenças ainda mais do que na busca pela semelhança, e que tudo que nós somos, a nossa verdade, é linda do jeito que é. Não precisamos ter vergonha, nos esconder, porque cada ser humano é uma poesia particular e precisamos ver isso em nós mesmos e no outro para ter mais empatia e amor ao próximo” completa Amanda sobre a letra da música.

Erika Affonso & Diego Martins | Imagem: Divulgação/Netflix

“O projeto é totalmente independente, sem grana, então percebi que para fazer esse vídeo precisaria chamar amigos meus, que topassem fazer no amor. Ou seja, todo o processo de amor e parceria em nome da causa, já se iniciou aí” ressalta ela.

Amanda assumiu-se lésbica na adolescência e contou, felizmente, com um desfecho positivo em sua família, mas sabe que a realidade é bem diferente para muitas pessoas:

“Eu me entendi como mulher lésbica e me aceitei muito cedo, nunca tive relacionamentos com homens e lidei bem com isso. O preconceito familiar foi forte, como de costume, mas nunca desisti e, com o tempo, as coisas foram se resolvendo. Vejo como as circunstâncias e as realidades dos LGBTQIA+ são diversas e cruéis, em especial no nosso país. Esse projeto é só um início do que busco fazer pela comunidade, e o que está ao meu alcance nesse momento…”

Ela também acredita que o posicionamento de tantos gays de forma mais ativa e com orgulho fazem a diferença frente a uma sociedade ainda tão machista e preconceituosa, como a brasileira. A música já está disponível em todas as plataformas de streaming: Spotify, Deezer, Apple Music. Além disso, Amanda faz algumas partes da letra no clipe na linguagem de libras.

Show Full Content
Previous Conheça o universo Tokusatsu
Next Rock in Rio III: De volta por um mundo melhor

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Crítica: Os Incríveis 2

2 de julho de 2018
Close