Na semana passada, o Instagram divulgou um levantamento que surpreendeu a todos: na lista de stories mais visualizados no mês, o segundo lugar pertence à um brasileiro. Não é Anitta, nem Neymar e muito menos Whindersson Nunes, também esqueça Marina Ruy Barbosa ou David Brazil. O brasileiro que desbancou Beyoncé e Kendall Jenner no número de visualizações deste mês foi Carlinhos Maia.

Existe uma grande chance de que você não o conheça, mas também é grande a chance que você o ame. O alagoano que ficou famoso fazendo vídeos caseiros sobre sua realidade no interior do estado hoje tem mais de 8 milhões de seguidores no “insta” expõe duas realidades do Brasil atual: a primeira é que o nosso país é um enorme paradoxo em que quem uma grande estrela para metade é um total desconhecido para a outra metade – algo bem parecido com o fenômeno Cristiano Araújo, que só ficou conhecido após sua morte, mas antes era um ídolo para muitos e um desconhecido para outros tantos.

A segunda verdade é que o instagram tornou-se o principal termômetro de celebridades. Parece que ninguém é famoso se não tiver seguidores suficientes no instagram. Segundo o site We Are Social, o Insta é apenas a 5a rede social mais usada pelos brasileiros, atrás de facebook, youtube, whatsapp e messenger. Contudo, parece que não há fama no facebook ou no youtube se não houver fama no instagram.

A youtuber Kefera, por exemplo, lançou seu primeiro vídeo na plataforma em julho de 2010, meses antes do nascimento do instagram em outubro do mesmo ano. Rapidamente conquistou os internautas com seus vídeos cômicos e e hoje é dona de um dos 15 canais com mais inscritos do Brasil. Ainda assim, sua fama no instagram é maior: no youtube ela tem 11,1 milhões de inscritos enquanto no instagram tem 12,4 milhões de seguidores.

No ano passado, Natallia Rodrigues atriz de “Verdades Secretas”, “Insensato Coração” e “Gabriela”, usou seu Facebook para desabafar e mostrou o poder do Instagram. No post, ela diz que já perdeu um papel por não ter um número suficiente de seguidores na rede social.

O próprio Carlinhos Maia é uma prova viva da força do aplicativo: ele é uma celebridade quase que exclusiva do instagram. Tem uma página no Facebook, aliás foi lá que surgiu, mas é pouco atualizada, tem um canal no youtube, mas não chega à 100 mil inscritos, tem um perfil no twitter, mas sua conta não é nem verificada. Como ele mesmo diz, praticamente vive nos stories do instagram, e isso o faz um dos maiores influenciadores do país e frequentar a mesma roda que os principais artistas do Brasil. Neymar, Simone, dupla de Simaria, e o humorista Tirulipa, são algumas das figuras “taggeadas” nas fotos de Carlinhos.

Assim como Whindersson, o alagoano também escolheu o stand-up comedy como profissão offline, mas esta e seu próximo projeto, um programa humorístico no Multishow, só se sustentam com sua fama nas redes sociais e mais especificamente no instagram.

É inegável dizer que outras redes ainda tem um poder enorme, principalmente o YouTube quando se fala de crianças e pré-adolescentes e Facebook quando se fala em adultos mais velhos. Contudo, isso parece ser questão de tempo. Desde 2012, quando Zuckenberg comprou o instgram, este não rivaliza mais com o Facebook e o grande foco das inovações parece ser o aplicativo de fotos e vídeos. Neste ano, o Instagram lançou o IGTV, uma espécie de youtube dentro do próprio “insta”, só que com uma importante novidade: os vídeos não precisam mais ser gravados na horizontal e sim na vertical, na mesma orientação das selfies e dos stories.

Por fim, parece ser também uma questão de tempo para que todos nós, assim como Carlinhos Maia, vivamos dentro dos instastories.