Crítica: As Aventuras do Pequeno Colombo

As férias estão chegando, e com elas várias opções de filmes para toda a família curtir nos cinemas! Entre eles está a animação “As Aventuras do Pequeno Colombo”, uma produção nacional dirigida por Rodrigo Gava e Eduardo Campos, com um elenco cheio de vozes bem conhecidas, como as de Isabelle Drummond, Pietro Mário e José Wilker, que nos deixou esse legado antes de partir.

O filme conta a história do jovem Cristóvão Colombo. Embora o filme busque inspiração em personagens reais, é uma fantasia, usaram e abusaram da licença poética, a começar pelos amigos que acompanham o pequeno menino Cristóvão, nada menos que Leonardo Da Vinci e sua musa inspiradora Mona Lisa, em suas versões mirins. Quando o pai de Cristóvão se vê sem dinheiro e prestes a perder até sua casa para o desonesto Barão Boneville, na esperança de que seus negócios com ele resultem em algo bom, seu filho vê na navegação a chance de salvar o pai da falência, já que o garoto acredita saber onde fica a lendária ilha de Hi Brazil, lugar cheio de riquezas, segundo o velho pirata Stilpen, considerado louco pela maioria dos que convivem com ele.

Stilpen pode ser considerado louco, mas realmente tem muita história pra contar e sabe do que está falando, pois ele próprio tentou alcançar a tão sonhada ilha, mas o monstro Nautilus, além de destruir a embarcação na ocasião, fez com que o mapa de Hi Brazil sumisse junto com a sua localização. Agora é missão do pequeno Colombo e seus amigos encontrarem o lugar, e para isso enfrentarão muitos perigos e viverão muitas aventuras entre piratas, cavaleiros lendários e criaturas submarinas.

Nessa animação optaram pelo 2D, com alguns efeitos de iluminação que torna tudo um pouco mais tridimensional. Os traços são mais angulares, deixando o cenário e os personagens bem estilizados, o que parece agradar bastante o público infantil, basta ver o sucesso que séries animadas como “Jake e os Piratas da Terra do Nunca” ou “O Show de Luna” fazem entre as crianças.Os personagens são divertidos, e uma das maiores sacadas do filme foi misturar uma trama cheia de fantasia com pessoas reais da história. Cris (Cristóvão Colombo) é um garoto aventureiro, corajoso e de bom coração. Leo (Leonardo Da Vinci) é o menino gênio, apaixonado por sua musa inspiradora Lisa (Mona Lisa), que consegue encantar a todos com seu sorriso único. Lisa incomoda um pouco, não a personagem em si, mas sua participação na trama. Algumas vezes ela fica de fora e é subestimada por ser menina, e embora seja possível encarar esse fato como uma tentativa de se fazer refletir sobre o tema, isso não ficou tão claro, soando como se realmente o papel das mulheres fosse apenas conseguir as coisas através de sorrisos.

A dublagem da animação ficou ótima, contando com excelentes profissionais como Márcio Simões, Luiz Carlos Persy e Isaac Bardavid. Embora o filme conte com as vozes de Isabelle Drummond como Mab e de José Wilker como o Conde de Saint Germain, o destaque ficou para Pietro Mário como o pirata Stilpen. Além de ser o dono das vozes de Bafo (Turma do Pateta), Rafiki (O Rei Leão) e do Grande Ancestral (Mulan), o ator tem inúmeros trabalhos na TV, incluindo o herói infantil Capitão Furacão, que interpretou por cinco anos na década de 60. Seu personagem além de ser muito importante para a trama é um dos mais divertidos, e muito disso se deve ao excelente trabalho do dublador.
José Wilker não foi o único a deixar um legado através desse longa. Pedro Ernesto Stilpen, cineasta, produtor e roteirista, também nos deixou recentemente. Ele assinou o roteiro do longa, mas infelizmente partiu no dia 25 de junho, poucos dias antes do lançamento nacional que acontece no dia 6 de julho. Mas deixou para nós sua obra e viverá através dela, e o personagem Stilpen levará não só seu nome, mas sua alegria para muitas gerações.

A animação brasileira está caminhando. “Turma da Mônica em Uma Aventura no Tempo”, “O Menino e o Mundo”, “BugiGangue no Espaço” e agora “As Aventuras do Pequeno Colombo” estão entre muitos dos nossos trabalhos, mas infelizmente eles não têm a repercussão que deveriam ter, e embora se culpe muito a distribuição ou a falta de propaganda, um dos maiores problemas é o preconceito do próprio público, que ainda não dá muito crédito aos filmes produzidos por aqui. Esse quadro está mudando aos poucos, mas podemos acelerar esse processo. Faça sua parte e dê uma chance para essa animação. Assista, mande aos produtores sua opinião, o que acha que deveria melhorar, o que acha que está bom, participe desse processo para que cada vez tenhamos produções com mais qualidade! Ainda temos muito que melhorar, mas estamos no caminho!

Crítica: As Aventuras do Pequeno Colombo
7Pontuação geral
Votação do leitor 2 Votos
9.0