Crítica: Buscando…

A evolução tecnológica nos presenteou com novos formatos de mídia, onde podemos brincar e inovar em tudo o que fazemos. O cinema vem se modernizando ano após ano, a adaptação dos longas às novas tecnologias é algo fluente e que só vem fazendo bem a essa industria que cada dia mais cresce. Jurassic Park revolucionou ao trazer dinossauros realistas a tela, Senhor dos Anéis foi um marco na captura de movimentos e Avatar tornou o 3D a nova moda em Hollywood.

Buscando… é um filme impossível de se imaginar há dez  anos atrás, mas é realidade e é algo extremamente bom, brinca de forma original com o modo de contar uma história através de câmeras.

A história se passa inteiramente online, por câmeras, sejam de TV, sejam de trânsito, ou por lives; é tudo feito sobre a perspectiva de uma câmera web. Ficamos imersos ao que os computadores enxergam da nossa vida. Vemos que nossa vida hoje em dia está toda na rede, e esse é o viés para um filme de mistério, suspense e drama sem precedentes e totalmente atual, remetendo muito ao que nós conectados a rede vivemos diariamente sem perceber nesse mundo de informação e pessoas irreais que o mundo virtual oferece.

David Kim (John Cho) se vê em uma trama inesperada, quando sua filha de 16 anos desaparece misteriosamente. Conforme a busca se inicia ele invade a privacidade da vida virtual da sua filha e tudo se torna cada vez mais cabuloso a medidas que as descobertas são feitas e as peças não se encaixam.

O filme começa contando de forma muito peculiar, através de atributos de um computador, a história de uma família desde de seu prelúdio. Somo inseridos em uma tela de computador que nos carrega, por intermédio de pastas, arquivos, videos e fotos, até a história central e atual no longa onde o longa se passa.

A história é repleta de reviravoltas e muito bem construída pelo roteiro de Sev Ohanian e Aneesh Chaganty. Assim como é bem construída a descoberta de um pai que se vê sem conhecer verdadeiramente que é sua filha, pelo simples fato de não ter um diálogo tão aberto como deveria.

O enredo nos carrega e nos prende de forma, nos entrega varias possibilidades e suspeitos que caem e voltam durante o filme. Não existem cenas de ação incisivas, tudo se passa na maior parte do tempo em primeira pessoa. E a direção de Aneesh Chaganty consegue criar expectativas, nos deixando em determinado suspense para saber o que realmente está acontecendo.

Por sua vez a trilha compõe muito bem o caminho trilhado pela história, sempre criando a expectativa com tons mais fortes quando as revelações estão próximas prendendo a atenção do expectador.

Um fato importante é que as atuações não têm o mínimo ressalte no filme, pois elas não ficam em destaque em momento algum, devido ao aspecto de primeira pessoa que nos é colocado, revelando o elenco quase que durante todo o filme por web cam, ou por imagens de câmeras aleatórias.

No geral “Buscando…” acerta em cheio ao apostar no novo, mas não ser displicente na história é o que conta. Ele traz novidade em uma boa trama, cheia de viradas e que prende aquele que assiste e fica na mesma angustia de busca do protagonista. Tudo é muito bem pensado e encaixado e o resultado final é surpreendente.

 

Crítica: Buscando...
9Pontuação geral
Votação do leitor 0 Votos
0.0