14 de dezembro de 2019

Richard Linklater (Trilogia Before, Boyhood) é conhecido por seu estilo peculiar de cinema, no qual prioriza o desenvolvimento de seus personagens através do diálogos ao invés de situações (como a narrativa mais hollywoodiana convencional). E Se essas características são seu forte, aqui elas soam mais como versões preguiçosas de seus trabalhos anteriores.

Bernadette (Cate Blanchett) está sem rumo na vida, ela resolve fugir da sua zona de conforto e desaparecer misteriosamente, deixando tudo para trás. Agora, sua filha, Bee (Emma Nelson), e seu marido Elgie (Billy Crudup) juntarem o pistas para descobrir o paradeiro de Bernadete.

O maior problema de “Cadê Você Bernadette?” é justamente a ausência daquela que é a maior características de Linklater a humanidade. Aqui não há naturalismo presente de suas obras anteriores, ao invés o que temos aqui é uma representação quase cartunesca de uma série de relações interpessoais.

Toda a dinâmica de Bernadette com sua vizinha, por exemplo, poderia ter sido escrita para séries animadas como Simpsons, já que o roteiro faz questão de transformar a personagem vivida por Kristen Wiig no velho clichê da “vizinha hiper simpática, que na verdade odeia o protagonista”. Isso quando não a coloca em situações absurdas como forçar um atropelamento só para chamar atenção. Isso sem contar algumas características de Bernadete que acentuam ainda mais um tom cartunesco a personagem como ficar chamando quem não gosta de “mosquito”

Com o tom dado pelo roteiro a direção de arte faz o (bom?) trabalho de acentuar ainda essas características, basta reparar na criação da casa de Bernadete, que é sempre mostrada como soturna e abandonada, quase como um mausoléu de vampiro, deixando claro assim as tendências antissociais da protagonista.

Aliada a direção de arte está o preciso trabalho de figurino.Durante a primeira metade do filme, vemos sempre a personagem principal usando um excesso de roupas e agasalhos, mesmo em locais que não demonstram o frio, bem como o uso constante de óculos escuros. Assim deixando claro já na primeira cena, a vontade da personagem de se esconder mesmo quando estando entre seus familiares.
Claro que Boa parte disso vem também do excepcional trabalho de Cate Blanchett, que eleva a mediocridade do texto, mesmo com todos os maneirismos de sua personagem ela se esforça ao máximo para evitar o trejeito cartunesco. Como na cena em que ela é surpreendida em sua casa, sua reação é forte ao mesmo tempo que quase minimalista, seu sorriso aos poucos some do seu rosto e se transforma em espanto.

Quase tão bem quanto ela está a jovem atriz Emma Nelson, que consegue tem a personagem mais humana do longa, Bee tem seus desejos, mas ela entende que vem de um lar com pessoas quebradas. Sua maturidade está em saber lidar com o temperamento de sua mãe e a ausência de seu pai.  A cena no carro é, talvez, o momento definitivo de Nelson no filme.

Com mais erros que acertos “Cadê Você Bernadette?” não está entre os piores filmes do anos, mas sem dúvidas é o pior na carreira de Linklater.


Imagem e vídeo: Divulgação/Imagem Filmes

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Deivid R. Purificação

Cinéfilo assíduo desde que se conhece por gente,e um amante da nona arte.
É da linha de David Lynch que acredita no potencial onírico das artes.

Previous CCXP19 – Quadrinista Fefê Torquato mostra força das mulheres no evento
Next “Friends”: A série pode voltar com elenco original no HBO Max

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Crítica (2): 6 Dias

15 de novembro de 2017
Close