Connect with us

Hi, what are you looking for?

Crítica

Crítica: Sai de Baixo: O Filme

Um dos maiores sucesso da década de 90, e até hoje lembrado como um dos melhores programas de humor da tv brasileira, “Sai de Baixo“, sai dos palcos de um teatro e da tela das televisões para ganhar os cinemas nacionais.

Com um esforço em manter-se fiel ao formato humorístico que  conquistou o publico, o filme busca referência no seu elenco -formado em grande parte por atores do seriado original – e na brincadeira da quebra da quarta parede, na qual o filme se auto escracha e brinca com o público.

Na nova trama, Caco Antibes (Miguel Falabella) conseguiu falir de vez a família e está preso. Caquinho, seu filho, toma rédia dos negócios enquanto o apartamento de Vavá vai a leilão. Mas, quando Caco é solto pela polícia, uma novo esquema envolvendo toda família e a Vavatour é a única chance de todos saírem do fundo do poço.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Nem os mais otimistas dos fãs imaginaria que “Sai de Baixo” ganharia um filme, tantos anos após o programa de tv sair do ar. Mas, no momento em que a nostalgia vende em Hollywood, não seria diferente no cinema nacional. Por isso, reviver esse clássico da comédia não chega a ser um absurdo, porém é uma grande responsabilidade. Essa responsabilidade que ficou a cargo de Cris D’Amato (do sucesso nacional “S.O.S Mulheres ao Mar”). Sem arriscar-se muito, o filme entrega uma trama e nuances que revivem o humor típico do programa original. Entretanto, mesmo com um início promissor, o longa se perde no meio do caminho e só volta a se encontrar no final – quando já é tarde para trazer a atenção do público.

A trama se inicia no famoso Largo do Arouche. É no inicio onde temos mais identificação com o programa humorístico. Vemos, pela primeira vez, a imagem do prédio de fora, Ribamar (Tom Cavalcante) na portaria e Magda – algo que ficava só no imaginário de quem assistia pela tv, pois a série tinha um cenário único. Toda trama de humor e situações criadas nesse início funcionam bem, principalmente com Ribamar e sua tia, uma dupla interpretada pelo mesmo ator e que rende bons momentos engraçados no filme.

O problema é que o humor decai ao longo da trama e, no segundo ato, temos o principal impasse. Toda uma trama chata criada dentro do ônibus, que inicia um efeito dominó sobre o restante do filme e esfria o público. Perde-se um pouco o espírito do início, com um humor mais desgarrado de regras. Outro incomodo é o personagem Caquinho (Rafael Canedo), filho de Caco Antibes, que apesar do esforço do ator, aparenta uma caricatura mal feita do clássico personagem de Miguel Falabella.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O elenco funciona melhor quando temos os personagens clássicos em tela. Magda (Marisa Orth) continua burra, mas agora “emporelada”, e brinca um pouco com a questão do empoderamento feminino sem perder a chance de usar trocadilhos. E nada é politicamento correto com Caco Antibes em cena, o seu humor politicamente incorreto funciona bem, principalmente quando brinca diretamente com o público e referências. Após 18 anos, Miguel Falabella continua o mesmo ao reviver Caco. E, como dito anteriormente, Tom Calvacante é o grande nome do humor no filme, ele diverte e consegue arrancar gargalhadas a todo momento do público – seja como Ribamar ou como sua Tia.

Acabamos por sentir falta de algumas figuras carimbadas do programa. Cassandra (Aracy Balabanian) e Vavá (Luis Gustavo), provavelmente devido a idade e outras considerações de saúde, não fizeram parte de todo longa metragem e isso deixa a desejar para a nostalgia ser completa. Durante o longa, o próprio Miguel Falabella brinca a todo momento com a questão, observando que Aracy participou apenas de três dias das gravações.

No fim, “Sai de Baixo O Filme” não é, nem mesmo de longe, bom como o seriado. Entretanto, o longa não passa vergonha ou desmoraliza a memória da série. Ele brinca e diverte e é uma boa para quem quer revisitar o passado e lembrar das confusões dessa eterna família do Largo do Arouche.

Advertisement. Scroll to continue reading.


Fotos e Vídeo: Divulgação/Globo Filmes/Imagem Filmes

Advertisement. Scroll to continue reading.
Reader Rating1 Vote
5
5
Written By

Cursando Produção Cultural atualmente, sempre foi apaixonado por cinema e decidiu que de alguma forma trabalharia com isso. Tendo como inspiração Steven Spielberg e suas histórias que marcaram gerações, escreve, assiste, lê e aprende, para um dia produzir coisas tão grandes e que inspirem pessoas como um dia ele o inspirou.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Filmes

Com lançamento previsto para junho, “Veneza” é estrelado pela espanhola Carmen Maura e traz ainda outros grandes nomes no elenco, como Dira Paes, Eduardo...

Filmes

Documentário dirigido por Claudio Manoel e Micael Langer traz histórias da vida do apresentador pouco conhecidas do público A história de Abelardo Barbosa, um...

Filmes

Alice Braga, Gabriel Leone e o diretor René Sampaio conversam com o diretor René Sampaio sobre o filme, cinema nacional e Legião Urbana, no...

Crítica

Reader Rating2 Votes70 Durante a coletiva de imprensa após a cabine de “Os Parças 2” Tom Cavalcante enfatizou que o filme buscava um humor...

Advertisement