Na data em que se comemora o dia de Santo Antônio pela Igreja Católica, também conhecido como Santo Antônio de Pádua, 13 de Junho, estreou na Sala Baden Powell em Copacabana o espetáculo “Antônio” que propõe uma visão bastante poética da vida e das realizações do santo. Este que, além de ser considerado um casamenteiro, também é considerado pelos fiéis, como protetor das coisas perdidas, protetor dos pobres, e segundo sua história, ele operou milagres de cura de cegos, surdos, coxos e muitos doentes em praças públicas e igrejas durante suas pregações.

A força iconográfica de Santo Antônio nos leva ao encontro do que mais sagrado existe no ser humano, o amor. O amor ao próximo, a comunhão com a natureza e o desapego pelas coisas materiais nos inspiram na construção de um mundo melhor.  Nascido em Lisboa, Portugal, Antônio foi um notável intelectual da Idade Média. De família nobre e rica, era filho único de Tereza Taveira e Martinho de Bulhóes, oficial do exército de Dom Afonso, e teve sua formação inicial realizada pelos cônegos da Catedral de Lisboa, dedicando-se às artes, filosofia e ciência. Além disso, ele foi autor de grande coletânea, obras consideradas tesouros da Literatura e da História Universal. Abandonou um futuro promissor no exército da corte portuguesa, a boa condição financeira e o prestígio de sua família para por fim se tornar um frade franciscano, pregando apaixonadamente mensagens de amor e realizando milagres por onde passava.

O espetáculo “Antônio” é pontuado por elementos do teatro de animação. Em uma linguagem lúdica, os atores contracenam com bonecos e os adereços compõem momentos de poesia, sob a trilha sonora original criada pelo maestro João Omar de Carvalho Mello.

“Nós contamos a história do Santo, de maneira bem lúdica, num espetáculo cheio de bonecos. Falamos de sua vida e milagres, mas buscamos o homem que transcende a religião, como alguém que buscou no amor a Deus e a todas às criaturas, o sentido de sua vida. O grande diferencial sãos os bonecos e adereços que permeiam todo o trabalho.” diz um dos atores que compõe o elenco, Sidney Guedes.

Com muitas cenas intimistas, perpassando por momentos de comicidade e outros mais dramáticos,“Antônio” é um espetáculo sensível que encanta a todas as idades. A iluminação é assinada por Bruno Henrique Caverninha, Figurinos por Almir França e visagismo por Diego Nardes. O espetáculo também conta com áudio do ator Marcos Breda (da novela “O Rico e Lázaro” da TV Record), interpretando São Francisco de Assis, em memorável encontro entre os dois santos. No elenco estão André Farias como Antônio, Daniel Terra, Adriano Siqueira, Sidney Guedes (Era uma vez uma história da Band), e Déborah Cecília, sob texto e direção de Victória Vieira.

“O trabalho com os bonecos foi uma experiência muito rica para mim enquanto ator, o que me motivou ainda mais a fazer parte da construção desse espetáculo, juntamente com a bela história. Os bonecos e também os adereços, estão sendo uma experiência incrível que nos deixa mobilizados, plenos em cena. É aquela coxia louca, tira bonecos, pega adereços, entre em cena, atua, ufa!” conta um pouco mais o ator Sidney Guedes que no espetáculo faz o pai de Antônio.

Então, se você é devoto ou não de Santo Antônio, se curte trabalhos com bonecos em cena, se é estudante de teatro, amante das artes cênicas ou está buscando uma alternativa de lazer bacana pelo Rio de Janeiro, fica aí a dica de peça que segue em temporada de 17 de junho a 02 de julho, sempre aos sábados e domingos em horário alternativo, às 15 horas na Sala Municipal Baden Powell em Copacabana. Vale a pena conferir!


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Adriana Dehoul

Adriana Dehoul é maquiadora, atriz e produtora desde que resolveu seguir seus sonhos na carreira artística. Sem perder a meninisse para as durezas da vida, ela gosta de subir em arvores e viajar ouvindo o canto dos pássaros e as ondas do mar. Deseja compartilhar poesias nesse mundo de inquietações que transborda amor apesar de tudo.

Previous E se fosse na Bahia…
Next Perdoar é um ato de amor – a nós mesmos

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE