6 de dezembro de 2019

Depois de explorar o sertão de Guimarães Rosa numa exposição que inaugurou o Museu da Língua Portuguesa em 2006, Bia Lessa mescla às artes visuais a cena em “Grande Sertão: Veredas” com estreia no próximo domingo dia 28 de janeiro no CCBB RJ após temporadas de sucesso em São Paulo. A diretora transforma os espaços em que seu espetáculo está em cartaz numa grande instalação de artes plásticas, que à noite passa a ser o palco para a representação teatral da grande obra literária brasileira.

A peça acompanha a saga do jagunço Riobaldo (Caio Blat) em retrospecto. O protagonista é um homem atormentado tanto pela dúvida sobre a existência do demônio como pela paixão inconcebível por alguém que julga ser outro homem, Diadorim (Luíza Lemmertz). Além disso, o mesmo busca atravessar o sertão para combater seu grande inimigo, Hermógenes (Leon Goes).

Em 2006, a exposição de Bia Lessa recriava o mundo rosiano através das palavras. Na adaptação para os palcos, a instalação disponível para visitação, conta com – além do texto – cenário e objetos concretos. Trata-se de um passeio intenso por uma das principais obras da literatura mundial e por conta disso a diretora se muniu de um elenco compromissado a fidelidade total ao encenar palavras de Guimarães Rosa – texto foi mantido sem alterações e o espetáculo não é dividido em cenas, assim como o livro não tem divisões, o que também justifica a permanência dos atores em cena.

O objetivo da diretora é de representar o sertão que está dentro de todos nós, por isso a necessidade de um espetáculo sensorial. Logo, o espaço de encenação foi pensado de forma engenhosa. Além da instalação, os atores atuam dentro de uma estrutura tubular que lembra uma gaiola na rotunda do CCBB – um espaço onde homens, animais e vegetais dialogam – delineando o que a própria Bia Lessa denomina como sertão metafísico.

Outro componente sensorial do projeto é a utilização de fones de ouvido por cada espectador, que, por sua vez, consegue transitar entre as três camadas sonoras presentes no espetáculo: a trilha sonora, os sons ambientes e as vozes dos atores. Este recurso oferece uma interação inédita com o sertão e o seu significado.

Os ingressos estão disponíveis pela Bilheteria do CCBB, de quarta a segunda, das 9 às 21h, pelo site eventim.com.br ou pelo Aplicativo Eventim. Estão concorridíssimos tendo já várias semanas esgotadas. Fica em cartaz até 31 de março.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Por Rayza Noiá

Show Full Content
Previous Elza Soares é homenageada em Single do cantor Thiago Pach
Next Resenha: Organização Pessoal para usuários de agenda de papel ou no computador, de Marcelo Andrade

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Rap Free Fire “Eu Sou a Lenda” reúne vários rappers geek!

29 de novembro de 2019
Close