Tempos difíceis: Uma época difícil para a Disney… Suas animações não estavam conseguindo chegar nem perto do que seus clássicos como “A Pequena Sereia” e “O Rei Leão” chegaram… Um ogro tirando onda com a própria Disney, situando seu príncipe ridículo em um parque de diversões falido era o que estava agradando a todos… Parecia que tudo ia de mal a pior, mas, a Pixar, sua parceira na época, surge com um concorrente à altura para o ogro! James P. Sullivan, ou Sulley, com seu melhor amigo olhudo Mike Wazowski vieram com todo o pessoal da “Monstros S.A.” pra mostrar do que é feita uma boa animação!

Um filme que marcou época. A Pixar já vinha fazendo um sucesso enorme com suas produções, sobretudo com “Toy Story”, franquia favorita entre a maioria dos fãs do estúdio, e não decepcionou quando decidiu transformar em animação o medo que as crianças tem de encontrar um monstro dentro do armário. Com a direção de Pete Docter (“Up”), trilha sonora de Randy Newman e uma equipe de animadores talentosíssimos, esse monstro da animação merece um lugar de destaque na prateleira de todo colecionador e de todas as pessoas que apreciarem um bom filme!

Sinopse: O filme conta a história de de Mike e Sulley, que vivem em Monstrópolis, a cidade dos monstros, e trabalham na empresa “Monstros S.A.” que fornece energia através dos gritos das crianças ao verem essas criaturas saindo de seus armários. Mas quem vê essas cenas, não imagina que quem sente medo de verdade são os monstros que entram nos quartos desses pequenos! Eles acreditam que as crianças são tóxicas, já que seus gritos fornecem uma energia capaz de iluminar a cidade inteira. A situação se complica mais quando a pequena Boo, uma garotinha de uns dois anos, entra em Monstrópolis e faz com que todos entrem em pânico com a situação. Mike e Sulley encontram a garotinha e agora precisam devolvê-la em segurança para sua casa. Esse é um filme que fala especialmente sobre a amizade, e o final emociona de diversas maneiras, mas talvez a mais interessante delas seja a mensagem de que a alegria tem muito mais poder que o medo.

Oscar 2002 e a injustiça cometida

Podem falar o contrário e defender o Shrek, mas, para muitos admiradores da sétima arte o primeiro Oscar de Animação foi parar nas mãos do monstro errado. Não é preciso ter nada contra o Shrek, ele até que é simpático, engraçado, bem animado, mas espera um pouco aí… Um filme que ganhou sua audiência parodiando contos de fada ganhar de uma história original e emocionante como a de “Monstros S.A”.?! Qual foi a justificativa? Tanto a história como a animação de “Monstros S.A.” são muito superiores. Do lado técnico, um monstro enorme, medindo uns dois metros de altura e completamente peludo, em uma época em que pelos eram evitados justamente pela dificuldade que era animar de forma convincente. Sobre a história, pegaram algo que existe na maioria das culturas que é o medo que as crianças têm de monstros, e transformaram em uma história maravilhosa! Enfim, c’est la vie, não é?

Personagens secundários carismáticos

Não dá pra ficar sem falar dos coadjuvantes de “Monstros S.A.”! A Pixar mostra que não é porque o personagem tem pouco tempo na tela que não vai ter a atenção devida. Cada personagem nesse filme é carismático e encanta o público, ainda que só tenha pouquíssimas falas ou nenhuma. Veja Needleman e Smitty, os rapazes da manutenção são hilários! E o que dizer do azarado George Sanderson? Impossível não ter empatia pelo sofrimento dele quando seu “amigo” o entrega por estar com uma meia grudada no pelo!

DVD

A edição lançada mais recentemente é a simples, com um disco só, mas, apesar de ser mais barata, se encontrar a edição anterior, com dois discos, escolha essa! Os extras são sensacionais, como o processo de criação, o desenvolvimento da história e dos personagens, além de diversos easter eggs! Um filme que vale a pena ser visto e revisto! Para finalizar, o slogan da empresa: “No susto e no grito, fazemos bonito”.

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Tom Dutra

Tom Dutra é ator e formado em Artes Visuais. Além disso, faz desenhos e tem dificuldades em dizer se é cartunista, quadrinista, desenhista ou ilustrador! É apaixonado por animações e quadrinhos. Coleciona trilhas sonoras de desenhos animados e é comum encontrá-lo na rua cantando essas músicas.

Previous Decoração de natal: dicas para deixar sua casa pronta para o feriado
Next Rufem os tambores! “Star Wars – Os últimos Jedi” chega aos cinemas para acabar com nossa curiosidade

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close