NoEscurinho2

“Fogo no Mar” é o quarto vencedor distribuído pela IMOVISION

Depois de “A Separação”, em 2011, “Instinto Materno”, em 2013, e “Taxi Teerã”, em 2015, a IMOVISION mais uma vez distribuirá o vencedor do Urso de Ouro, da 66° Edição do Festival de Berlin. “Fogo no Mar”, do diretor Gianfranco Rosi, chegará aos cinemas brasileiros hoje.

13086696_259231954423368_4754697304249371704_o

A trama gira em torno de Samuele, que, aos 12 anos, vive em uma ilha no meio do mar, na costa sul da Itália. Ele vai para a escola, gosta de caçar e brincar na terra, mesmo que tudo ao seu redor seja sobre o mar e os homens, mulheres e crianças que tentam atravessá-lo. Porém, sua ilha não é como as outras. Lampedusa é a fronteira mais simbólica da Europa, atravessada por centenas de milhares de imigrantes nos últimos 20 anos em busca de liberdade.

O diretor e produtor de cinema, Gianfranco Rosi, nasceu em 1964 na cidade de Asmara, em Eritrea, e formou-se em cinema pela Escola de Cinema da Universidade de Nova York. Sua estreia foi com Boatman, em 1983, exibido em diversos festivais internacionais de renome, como Sundance Film Festival, Locarno Film Festival, Toronto International Film Festival e Festival Internacional de Documentários de Amsterdam.

Rosi pode se considerar um privilegiado. Ele foi o único diretor a vencer o maior prêmio em dois dos mais importantes festivais do mundo, com um documentário. Vencedor do Leão de Ouro, no Festival Internacional de Cinema em Veneza, com Sacro GRA, em 2013, em fevereiro ele levou o Urso de Ouro por “Fogo no Mar” retratando dramaticamente os conflitos dos refugiados que arriscam suas vidas para chegaram a ilha Lampedusa. Ao receber o prêmio no Festival de Berlim, o diretor Gianfranco disse: “Espero que este filme sirva para fazer as pessoas tomarem consciência de que não podem continuar morrendo no mar para fugir de uma tragédia.”

13047791_259231957756701_6146350402110931643_o

O filme recebeu inúmeros elogios da mídia internacional. O The Hollywood Reporter declarou: “Onde o jornalismo termina, “Fogo no Mar” começa. É preciso um documentarista único, como Gianfranco Rosi, para capturar o drama através do periscópio de sua câmera focada na pequena ilha siciliana de Lampedusa”. O The Guardian afirmou: “O júri do Berlinale acertou em cheio. O documentário de Gianfranco Rosi sobre a crise migrante na Europa se envolve profundamente com um dos principais tópicos do nosso tempo, e também exibe um estilo cinematográfico humano e singular”. A presidente do júri do Festival de Berlin, a atriz Meryl Streep, falou que o filme é o melhor exemplo do que a Berlinale significa, sendo um filme urgente, imaginativo e necessário.

Depois de tantos elogios, só nos resta correr aos cinemas para apreciar essa história histórica e comovente. Assista o trailer abaixo e boa sessão.

Paulo Olivera é mineiro, Gypsy Lifestyle e nômade intelectual. Apaixonado pelas artes, Bombril na vida profissional e viciado em prazeres carnais e intelectuais inadequados para menores e/ou sem ensino médio completo.