Bem antes do fan-film sobre Voldemort, recentemente autorizado pela Warner, nós, fãs da saga Harry Potter, pudemos ver nosso querido universo expandido em outros filmes não oficiais impressionantes! A galera da Broad Strokes Productions já tem dois curtas “The Greater Good”, lançado em 2014, e “Severus Snape and the Marauders”, o mais recente, de 2016.

O primeiro (que poderia ter o título traduzido como “O Bem Maior”) traz um duelo intenso entre Grindelwald e Dumbledore, quando ambos ainda eram jovens, explorando também sua relação e a mente, então imatura, daquele que ainda se tornaria um dos maiores bruxos da ficção. Vale lembrar que a nova série de filmes oficiais, que começou em “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, deverá trazer futuramente o lendário duelo, entre a dupla já adulta e amplamente admirada – ou temida –  no mundo bruxo por seus grandes feitos.

O segundo curta (“Severo Snape e os Marotos”, numa tradução livre) tem também outro confronto que sempre quisemos assistir, mas nunca pudemos. O filme retrata Snape enfrentando James Potter, Sirius Black, Lupin e Rabicho. Recém-formados em Hogwarts, os jovens discutem seus futuros, afetados pela ascensão de Voldemort, até que Snape e os outros começam uma briga, cada vez mais descontrolada e potencialmente fatal. Não queremos dar spoilers, mas podemos dizer que o duelo entre eles é épico.

Os dois filmes foram feitos sem fins lucrativos, com financiamento coletivo. Enquanto o filme com o jovem Dumbledore ainda fica devendo bastante nos efeitos especiais, no curta lançado no ano passado, eles estão bem melhores. Nos dois casos, como é de se esperar, não temos efeitos sequer próximos dos filmes oficiais, mas ainda é visível o esforço e preocupação em entregar o melhor trabalho possível.

Para compensar os efeitos especiais, os dois filmes brilham com suas histórias. Enquanto “The Greater Good” não cria nada necessariamente novo em relação à história retratadas nas páginas da saga de Harry Potter, “Snape” vai mais longe. Os dois criam histórias quase dignas de terem saído da mente de J.K. Rowling – talvez até melhores do que a da peça oficial, porém não escrita pela autora, “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada”.

Certamente o universo criado por Rowling é um dos favoritos quando se trata das famosas (ou odiadas) fanfics. No entanto, ver essas possibilidades levadas a outro nível, de forma a se confundirem com as obras oficiais em alguns aspectos. Ok, exceto pela “Criança Amaldiçoada”… Este seria um caso que foi amplamente rejeitado pelos fãs, apesar da campanha de divulgação do livro com o roteiro insistir que esta era “a oitava história”.

O legal em Harry Potter – e em outros universos – é justamente que estes tem uma vida e passados próprios. Sim, J.K. tem lá em sua mente (e frequentemente no site Pottermore) o passado deste mundo incrível, e quando mesmo assim, fãs fazem algo que entende e respeita sua fonte, sem entrar no meio o “fan-ego” que pode causar tramas irrealistas naquela “realidade”, como pode acontecer em fanfics mais delirantes.

E enquanto estamos todos ansiosos por “Voldemort: Origins of the Heir”, a própria Broad Strokes anunciou recentemente em seu Facebook que estão quase terminando de escrever o roteiro de “The Great Wizarding War”As expectativas são grandes, afinal, eles já provaram que conseguem explorar as histórias sem se perderem no fan-service, que muitas vezes estragam muita coisa oficial – como certa série que foi recentemente cancelada, mas que não vem ao caso aqui hoje.

Quem nunca assistiu aos curtas aqui mencionados, ou deseja relembrar, pode ver “The Greater Good” e “Severus Snape and the Marauders” no canal da Broad Strokes no YouTube. Aliás, ambos têm legendas em português, se preferirem! E vocês, têm algum fan-film favorito? Comentem aí!


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Cesar Rezende

Carioca por acidente e adepto do pop e rock dos anos 90 e 2000. Sobrevive de uma dieta não moderada de Stephen King e gostos que ele jura serem divergentes. Ama escrever e fotografar, é defensor e problematizador do videogame como forma de arte, e, acima de tudo, metido a engraçado.

Previous Resenha: O Papel de Parede Amarelo
Next Quando o plano não dá certo: Temer veta seus memes e se torna foco deles

15 thoughts on “O universo de Harry Potter Expandido por fãs

  1. Sou daquela porcentagem mínima que nunca leu Harry Potter, mas que cresceu assistindo aos filmes. E por mais que eu não seja fã, fico feliz em saber que sempre terá novidades relacionados a esse universo, que é tão maravilhoso. Eu vejo o fandom e fico com vontade de ser um de vocês, hahaha. Quem sabe no ano que vem eu consiga tirar um tempo para ler todos os livros, né?

  2. Eu assisti esse do Snape, esse ou um outro parecido, e gostei bastante. AMO esses filmes feitos por fãs, porque a gente quer ver mais, e as produtoras não fazem. Super apoio ><

  3. Eu nunca li Harry Potter, e na verdade não vi o Reliquias da Morte parte 2 até hoje auhauha Eu gostava quando era pequena, aí fquei de saco cheio de tanto que uma amiga minha era “Pottermaniaca” depois com uns 12 anos voltei a gostar, ia nos eventos nerds e haviam salas temáticas da Potter Sampa e Magic Potter e o amor dos caras pela série me encantavam. Ainda quero ler o livros (e terminar assistir o último filme assisti Animais Fantásticos, mas não vi esse \o/). Ouvi falar desse filme do Voldemort esses dias, achei super legal, mas desses outros e não conhecia, e vou querer assistir, principalmente o do Snape mozão S2 Isso me lembra muito o fandom de Castlevania (que é que mais faço parte), porque mesmo não tendo conteúdo e jogos novos a anos, os fãs viram hitórias e fã-games para completar os buracos da história e não deixar a série morrer.

    Bites!

  4. Eu acho incrível todas essas possibilidades de spin off da saga e sempre fico torcendo muito pra que todas aconteçam. inclusive vou procurar mais informações sobre esses curtas.
    Agora é só esperar as novidades 🙂
    beijs

  5. Sempre fico super animado quando vejo produções de fãs ganhando destaque desse jeito. Esses curtas têm uma qualidade incrível — não em termos de produção, mas na questão de imergir no mundo de HP, porque sentimos elas totalmente verdadeiras. Cursed Child tem disso, apela pra nostalgia, mas peca nos excessos, e excesso nunca existiu na mão da JK (na minha mente, é bem por isso que tanta gente critica Cursed Child)

  6. Oie, tudo bem? Apesar de acompanhar a saga Harry Potter desde o início nunca li nenhuma fanfic ou assisti curtas. Gostei da indicação desse canal do YT, ainda não conhecia. Acredito que o mundo ficou um pouco mais triste com o término da história e não poder aguardar um próximo lançamento. Essa é uma opção de poder ficar mais perto do bruxinho rs Beijos, Érika =^.^=

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close