No fim do mês vai estrear a série Os Carcereiros, que retrata a rotina desses profissionais no antigo presídio Carandiru. A produção é inspirada no livro do médico Dráuzio Varella, que revela fatos reais segundo o que ele presenciou no período em que trabalhou no presídio e através dos depoimentos dos carcereiros. É comum que séries e novelas sejam baseadas em livros e isso rende muito sucesso. Confira uma lista de produções para a televisão brasileira que foram inspiradas na literatura.

Novelas Bíblicas

Existe um livro que é o mais vendido e traduzido no mundo: a Bíblia. O exemplar relata histórias de milhares de anos e não é à toa que pode render muitas produções. A Record percebeu isso e desde 2010 tem investido em minisséries e novelas inspiradas em trechos da bíblia. A primeira foi a minissérie Ester de 10 capítulos. Depois tiveram Sansão e Dalila (2011), com 18 capítulos, Rei Davi (2012) que foi a minissérie de maior sucesso desse segmento, e José do Egito em 2013. Em 2014, veio a primeira novela bíblica: Os Milagres de Jesus. A novela foi dividida em duas temporadas, mas não agradou muito, a audiência foi muito baixa. Mas em 2015, estreou o maior sucesso da emissora: Os dez Mandamentos. A trama contou a história de Moisés que é retratada no livro de Êxodo da Bíblia e incluiu outros núcleos que não existiram. O resultado foi muito bom, rendeu uma segunda temporada, um filme e uma minissérie, Terra Prometida, que é uma continuação da história. Depois tiveram O rico e Lázaro e agora está sendo exibida Apocalipse.

Novelas

A Globo sempre teve no folhetim alguma novela ou minissérie que fosse inspirada nos clássicos brasileiros, algumas até foram produzidas mais de uma vez. Entre elas estão Gabriela (1975 e 2012) que em suas versões teve Sônia Braga e Juliana Paes vivendo o papel principal, Sinhá Moça em 1986 e 2006, Cabocla na década de 1970 e nos anos 2000 e Ciranda de Pedra que esteve no ar em 1981 e 2008, inspirada respectivamente em livros dos autores Jorge Amado, Maria Dezonne Pacheco Fernandes, Ribeiro Couto e Lygia Fagundes Telles. Mas também existem novelas inspiradas na literatura estrangeira, dois exemplos atuais são a novela O outro lado do Paraíso que como trama principal traz a história do livro “O Conde de Monte Cristo” de Alexandre Dumas e Orgulho e Paixão, do livro “Orgulho e Preconceito” da autora Jane Austen. Uma de grande sucesso foi O Cravo e a Rosa, inspirada no clássico de Shakespeare, “A Megera Domada”, que foi ao ar em 2001 e trouxe a história do cômico e difícil casal Catarina (Adriana Esteves) e Petruchio (Eduardo Moscovis).

Séries e Minisséries

No ano passado a Globo lançou a série médica Sob Pressão que é inspirada no livro homônimo escrito pelo médico Márcio Maranhão. Em 2016, o clássico francês Ligações Perigosas foi adaptado para o formato de série, tendo Selton Mello, Patrícia Pillar e Marjorie Estiano como protagonistas. Mas não só recentemente a televisão brasileira tem adaptado a literatura para as telinhas. Em 1994, a Globo exibiu a minissérie Memorial de Maria Moura, vivida pela Glória Pires e foi baseada no romance de Rachel de Queiroz, quatro anos depois outra adaptação foi Hilda Furacão de Roberto Drummond que revelou a atriz Ana Paula Arósio, ambas foram um grande sucesso na história da TV brasileira. E uma das mais modernas e fiéis foi Capitu (2008), que contou o drama de “Dom Casmurro” de Machado de Assis e deixou todo o público com a mesma dúvida de sempre: Capitu traiu ou não Bentinho com o melhor amigo dele?Clássicos da literatura são ótimas inspirações para roteiros e investir nessa possibilidade sempre tem gerado bons resultados. Provavelmente não será diferente com Carcereiros, que terá sua estreia na terça-feira dia 24/04 e desde o ano passado está disponível no aplicativo Globo Play. O elenco é composto por Rodrigo Lombardi, Aílton Graça, Tony Tornado, entre outros. O livro foi muito elogiado pela crítica e a série está sendo aguardada com grande expectativa. Que ela seja tão boa quanto as outras adaptações literárias.